A articulação entre o planeamento territorial e sectorial: uma reflexão crítica sobre os recursos hídricos

Teresa Fidélis

Resumo


O planeamento territorial constitui uma abordagem metodológica e processual de concretização de políticas públicas tendo em vista, não apenas a transformação do território mas, também, a preservação dos seus valores ambientais a bem do interesse público e da solidariedade inter-geracional. Entre os valores ambientais que assumem uma dimensão estruturante do território, encontram-se os recursos hídricos. Os instrumentos de planeamento e a sua articulação intersectorial desempenham um papel determinante para a reconfiguração de prioridades, princípios e processos de tomada de decisão sobre o nexus território-água.
Este artigo tem por objectivo desenvolver uma reflexão crítica sobre o modo como a articulação entre os sistemas de planeamento territorial e dos recursos hídricos tem vindo a ser preconizada em Portugal. Para o efeito revisitam-se os conceitos mais relevantes, analisa-se o enquadramento legislativo fundamental português e abordam-se cinco problemas e cinco desafios sobre a articulação dos sistemas de planeamento água-território
tendo por base resultados de trabalhos de investigação já desenvolvidos.
Conclui-se com uma reflexão prospectiva questionando se os recentes instrumentos regulatórios trouxeram um novo ímpeto ao papel do planeamento territorial para a proteção dos recursos hídricos ou  se devem ser equacionados novos esforços para enriquecer a praxis dominante.


Palavras-chave


planeamento territorial; planeamento dos recursos; recursos hídricos; Portugal

Texto Completo:

PDF

Referências


Carter, J. (2007). Spatial planning, water and the Water Framework Directive: insights from theory and practice. The Geographical Journal. 173:4, 330–342.

Cordeiro, A. (2014). Os Recursos Hídricos no Planeamento Territorial ao Nível Local. (Dissertação de Mestrado em Engenharia do Ambiente não públicada, orientada por Teresa Fidélis). Departamento de Ambiente e Ordenamento, Universidade de Aveiro.

EEA (2012). Territorial cohesion and water management in Europe: the spatial perspective.European Environmental Agency, Technical Report N. 4/2012. Copenhagen.

Fidélis, T. & Sumares, D. (2008). Nature Conservation and Urban Development Control in the Portuguese PlanningSystem - a new impetus against old praxis? European Environment. 18, 298-311.

Fidélis, T. & Roebeling, P. (2014). Water Resources and Land use Planning Systems in Portugal - Exploring Better Synergies through Ria de Aveiro. Land Use Policy. 39, 84-95.

Fidélis, T., Rodrigues, C. & Roebeling, P. (2016). Dos Planos de Gestão de Bacia Hidrográfica aos Planos Directores Municipais – Sinergias para promover a sustentabilidade, in Actas do 13º Congresso Nacional da Água, Março de 2016, (15p) LNEC, Lisboa.

Fraga, T. T. Fidélis, T. (2016). Os Recursos Hídricos na Avaliação Ambiental Estratégica de Planos Directores Municipais, In actas da 6ª Conferência Nacional De Avaliação de Impactes (CNAI'16). 19-21 de Maio, (12p.) Universidade de Évora.

Lerner, D. & Harris, B. (2009). The relationship between land useand groundwater resources and quality. Land Use Policy. 26, 265–273.

Tong, S. & Chen, W. (2002). Modeling the relationship between land use and surface water quality. Journal of Environmental Management. 66:4, 377–393.

Weatherhead, E. & Howden, N. (2009). The relationship between land use and surface water resources in the UK, Land Use Policy. 26, 243–250.

Wheather, H. & Evans, E. (2009). Land use, water management and future flood risk. Land Use Policy. 26, 251–264.