Media, Política e Justiça: perspetivas de atores privilegiados

Ana Moreira

Resumo


Nos últimos anos tem havido uma intensificação do
debate em torno do exercício dos cargos políticos.
Todavia, essa exposição não tem tido correspondência
direta no trabalho legislativo quer de combate à
corrupção, quer de criminalização do comportamento
do político, em geral. Observa-se, aliás, uma certa
permanência de vazios legislativos acerca do tipo de
comportamentos potencialmente lesivos dos políticos,
no exercício da sua atividade quotidiana, enquanto
representantes da população eleitora. Além disso, a
política é um eixo fundamental da narrativa do tempo
presente, um tempo de crise, um tempo de interrogações
diversas, inclusive sobre a própria sustentabilidade
e futuro da democracia. Os media desempenham,
neste contexto, um papel muito próprio e central na
construção e na desconstrução da política, muitas vezes
distanciando-se dela, outras vezes propondo a sua própria
reconfiguração. Nesta apresentação, procuramos mostrar,
mais especificamente, qual é e de que forma se manifesta
o papel dos media (e da justiça) na formulação de uma
imagem de político, nomeadamente no que se refere à
idoneidade e à vocação para a política, tal como enunciado
por Max Weber. Empiricamente a comunicação sustentase
na apresentação e discussão dos resultados obtidos
no âmbito de uma investigação em curso que incide
sobre a análise de conteúdo e de discurso de um corpus
de materiais selecionados a partir de imprensa escrita,
assim como da legislação diretamente relacionada com a
regulação do comportamento do político, no exercício de
cargos públicos.


Palavras-chave


comunicação; política; corrupção; justiça

Texto Completo:

PDF

Referências


Araújo, E., & Moreira, A. (2011). The order and Inversion: Understanding Corruption in Media - Introduction to theoretical framework. 10th Conference of The European

Sociological Asociation (pp. 1–11). Genebra, Suiça.

Baptista, C. (2011). MEDIA, JORNALISMO E DEMOCRACIA: Mais informação, menos conhecimento e pior democracia. Jornalismo & Jornalistas, (45), 6–12. Retirado de: http://

www.clubedejornalistas.pt/wp-content/uploads/2011/02/JJ-45.pdf

Barriga, A. (2007). Media , Política e Opinião : uma tríade complexa. Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa. Retirado de: http://repositorio.iscte.pt/bitstream/10071/1381/1/Tese Media, Política e Opinião.pdf

Castells, M. (2002). Conclusão: A Sociedade em Rede. A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura (pp. 605–65). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Castells, M., & Ince, M. (2004). Conversa n.o6 - Política e Poder. Conversas com Manuel Castells (pp. 91–107). Porto: Campo de Letras.

Fidalgo, J. (2004). O caso Jayson Blair/The New York Times: da responsabilidade individual às culpas colectivas.

Fidalgo, J. (2005). Novos desafios a um velho ofício ou... um novo ofício? A redefinição da profissão de jornalista. Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, 1–16.

Fidalgo, J., & Oliveira, M. (2005). Da justiça dos tribunais à barra da opinião pública: As relações entre a Justiça e a Comunicação Social. Braga. Retirado de: http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/7438

Freitas, R. S. De. (2009). Comunicação política em Portugal e no Brasil : a cobertura jornalística dos Chefes de Governo. Universidade de Coimbra.

Guibentif, P., Vanda, G., & Cheta, R. (2002). Comunicação social e representações do crime. Cadernos do CEJ. Lisboa: Cadernos do CEJ.

Jewkes, Y. (2004). The construction of crime news. Media and crime, 35–62. Retirado de: http://www.mendeley.com/research/construction-crime-news/

Machado, H., & Santos, F. (2008). Crime, drama e entretenimento. O caso Maddie e a meta-justiça popular na imprensa portuguesa. Coimbra. Retirado de: http://www.ces.uc.pt/publicacoes/oficina/ficheiros/310.pdf

Machado, H., & Santos, F. (2011). Média, Crime e Justiça. Direito, Justiça e Média. Tópicos de Sociologia. (pp. 147–165). Porto: Edições Afrontamento.

Pinto, M. (2003). O papel dos media na promoção da democracia e dos indivíduos na sociedade da informação. Braga.

Santos, B. de S. (2004). Media e Democracia. Visão. Retirado de: http://www.ces.uc.pt/opiniao/bss/118.php

Santos, B. de S. (2005). Os tribunais e as novas tecnologias de comunicação e de informação. Sociologias, 7(13), 82–109. Retirado de: http://en.scientificcommons.org/20946478