O rádio de ontem (décadas de 1930 a 1940) e de 2013

Izani Mustafá, José Antonio Baço

Resumo


Nos seus primeiros anos de popularização, o rádio esteve
muito associado aos sistemas totalitários, que o usaram
na tentativa de manipular as massas. No caso do Brasil,
Getúlio Vargas (1930-1945) tirou proveito do potencial de
comunicação do rádio, uma vez que esse meio permitia
falar ao povo de forma íntima, amigável e paternal.
Também em Portugal, por meio da Emissora Nacional, o
governo ditatorial utilizou o rádio para propagandear as
suas ações políticas, econômicas, culturais e sociais. Hoje,
passado quase um século desde esse período, a lógica do
coronelismo (devidamente camuflado e adaptado aos
novos tempos) prevalece nas rádios do interior, onde
existe o fenômeno conhecido como os “bocas-alugadas”,
radialistas que estão ao serviços dos poderosos e que
têm programas sustentados pela publicidade de órgãos
públicos. É o caso de Joinville (situada na região
Norte de Santa Catarina/Brasil), onde uma geração de
antigos comunicadores ainda trabalha para formar um
determinado tipo de opinião, quase sempre com vínculo
aos partidos do poder.


Palavras-chave


rádio; Getúlio Vargas; programas; poder; radiojornalismo; radiojornalistas

Texto Completo:

PDF

Referências


BRIGGS, Asa; BURKE, Peter. Uma História social da Mídia: de Gutenberg à Internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

FERRARETTO, Luiz Artur. Rádio: o Veículo, a História e a Técnica. Porto Alegre: Editora Sagra Luzzatto, 2001.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Roberto Machado (organizador). Rio de Janeiro: Graal, 1985.

HAUSSEN, Doris Fagundes. Rádio e Política – tempos de Vargas e Perón. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1997.

HOBSBAWM, Eric. A era dos extremos - O Breve Século XX - 1914 – 1991. Tradução: Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

PAULO, Heloisa. Estado Novo e Propaganda em Portugal e no Brasil. O SPN/SNI e o DIP. Coimbra: Livraria Minerva, 1994.

RAMONET, Ignacio. A Tirania da Comunicação. Tradução de Jorge Sarabando, col. «Campo dos Media». Porto: Campo das Letras, 1999.

RIBEIRO, Nelson. A Emissora Nacional nos primeiros anos do Estado Novo. Lisboa: Quimera Editores, 2005.

ROSAS, Fernando. O Estado Novo nos anos trinta (1928-1938). Lisboa: Editorial Estampa, 1986.

ROSAS, Fernando; BRITO, J. M. Brandão de.Dicionário de História do Estado Novo. Volume I e II. Venda Nova: Bertrand Editora, 1996.

WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. São Paulo: Ed. Livraria Pioneira, 1985.