O cartaz publicitário camaleónico: uma abordagem ao design e à tecnologia

Francisco Mesquita

Resumo


Este artigo tem como proposta a produção de um cartaz
que se diferencie do cartaz convencional. Este último é
caracterizado por transmitir uma só mensagem durante o
período de exposição. O que propomos, neste contexto, é
a idealização de um cartaz, por nós designado por cartaz
camaléonico, capaz de emitir várias mensagens.
Para conseguir tal objectivo, começamos com um breve
apontamento sobre a história do cartaz e alguns dos
processo de inovação de que foi alvo, uma abordagem ao
processo de design e aos pigmentos utilizados, baseados
numa tecnologia denominada de microencapsulação.
Logo após, são apresentados alguns modelos do
cartaz camaleónico e uma breve explicação da sua
funcionalidade.


Palavras-chave


publicidade; cartaz; design; cor; tecnologia e mutação

Texto Completo:

PDF

Referências


Aumont, J. (1993). Imagem. São Paulo, Papirus.

Barnicoat, J. (2000). Los carteles- su historia y su linguaje. Barcelona, Gustavo Gili.

Calçada, A. (1993). Design em aberto. Lisboa, Centro Português de Design.

Cazeneuve, J. (1992). Guia alfabético das comunicações de massas. Lisboa, Edições 70.

Counsel, A. (1839). Outdoor advertising – its genesis, development and place in american life. New York, OAAA.

Dondis, A. (2000). La sintaxis de la imagen, introducción al alfabeto visual. Barcelona, Gustavo Gili.

Mesquita, F.; Neves, J. (2012). Outdoors interativos com pigmentos camaleónicos por impressão digital. Pat. Nº PT103928, concessão em 27/10/2010.

Moles, A. (1969). O cartaz. São Paulo, Editora Perspectiva.

Rueda, M. (2000). Cuatro décadas de publicidad exterior en España, Madrid, Ediciones de las ciencias sociales.