A publicidade contemporânea e o desafio de se comunicar com novos perfis de consumidore

Haroldo Silva Capote Filho, Mônica Cristine Fort

Resumo


Experimentar coisas novas, mas estar preso às
tradições. O ser humano vive essa contradição. A
comunicação publicitária explora as necessidades
humanas transformando-as em desejos por produtos e
serviços. O artigo pretende analisar peças publicitárias
audiovisuais de automóveis de 2008 a 2012, no Brasil.
No período, políticas de crédito voltadas às classes
emergentes estimularam o consumo. A aquisição de
bens duráveis, como o automóvel, gerou um desafio
aos publicitários brasileiros. Observa-se a construção
de um discurso voltado a um público-alvo tradicional,
aquele historicamente ativo, mas há, também, agora, a
chamada nova classe média brasileira, que não possuía
carro próprio e que pela primeira vez tem a possibilidade
de ingressar na sociedade de consumo adquirindo este e
outros bens duráveis. O sonho improvável de consumo
virou objeto de desejo – a curto prazo. Jingles, slogans,
interatividade, ousadia e criatividade são necessários
para atingir o público. Além da análise de conteúdo,
o texto visa discutir as estratégias de propagação das
campanhas, uma vez que as tecnologias democratizam
e favorecem a comunicação mais personalizada, não
necessariamente apresentada nas chamadas mídias
tradicionais. O audiovisual é voltado à TV aberta, mas
também é veiculado na web, nas redes sociais, em
outros gadgets. De acordo com o autor brasileiro Rafael
Sampaio, a Fiat foi a montadora que obteve o maior
destaque na comunicação de automóveis na primeira
década dos anos 2000, a empresa está há mais de 40 anos
no país. Mas, no Brasil, outras montadoras se instalaram a partir dos anos 90 e apresentaram comunicação mais
agressiva. Alguns casos, como a campanha dos pôneis
malditos para o automóvel Frontier, da Nissan, em
2011, tiveram primeiro a exibição na internet e depois
de já bastante conhecido e discutido nas redes sociais,
foram apresentados na TV. O tema pôneis malditos,
inclusive, foi reaproveitado e reeditado pela marca em
outras campanhas. O consumidor está mudando. Está
se tornando mais sensível, seletivo, desconfiado. Há
maior concorrência, maiores possibilidades de acesso à
informação. Maior capacidade de interação e de reação
quando sente-se enganado. Por isso, conhecer o público
e antever suas expectativas sabendo apresentar o produto
de forma a atender as necessidades e os desejos desse
consumidor são os objetivos dos comunicadores do
presente.


Palavras-chave


publicidade; comunicação; televisão; automóvel

Texto Completo:

PDF

Referências


Barbosa, M. (2012). Fiat destaca cores em campanha do Novo Uno. http://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/noticias/2012/06/25/Fiat-destacacores-em-campanha-do-Novo-Uno.html (acedido a 10 de

setembro de 2013).

Bittencourt, A. (2012). Nissan Frontier fica mais potente e pôneis malditos viram “exército”. http://motordream.uol.com.br/noticias/ver/2012/02/24/nissan-frontierfica-mais-potente-e-poneis-malditos-viram-exercito

(acesso a 09 setembro 2013).

Carrascoza, J. A. (2004). Razão e sensibilidade no texto publicitário. São Paulo, Futura.

Ferreira, A. (2012). Volkswagen estreia campanha publicitária do Novo Gol. http://www.comunicavale.com.br/volkswagen-estreia-campanha-publicitaria-donovo-gol/ (acedido a 10 de setembro de 2013).

Hoff, T.; Gabrielli, L. (2004). Redação publicitária. Rio de Janeiro, Elsevier.

Kligin, S. (2013). 7 estatísticas importantes sobre o consumidor brasileiro. http://brasillink.usmediaconsulting.com/2013/05/7-estatisticasimportantes-sobre-o-consumidor-brasileiro/ (acedido

a 8 de agosto de 2013).

May, R. (2002). A coragem de criar. Rio de Janeiro, Nova Fronteira.

Mazzi, C. (2012). Consumo da “nova” classe média turbina crescimento. http://www.jb.com.br/economia/noticias/2012/11/13/consumo-da-nova-classe-mediaturbina-crescimento-economico/ (acedido a 9 de

setembro de 2013).

Munhoz & Mariano. (2012). Camaro Amarelo. Álbum Ao vivo em Campo Grande, Volume II. http://letras.mus.br/munhoz-mariano/camaro-amarelo/ (acedido a

de setembro de 2013).

Novidades – Sudeste (2012). Volkswagen lança aplicativo para campanha do Novo Gol. http://www.sudesteautomoveis.com.br/novidades/52/volkswagenlan%C3%A7a-aplicativo-para-campanha-do-novo-gol.html (acedido a 12 de setembro de 2013).

Quatro Rodas (2008-2012). Autoserviço – Mais vendidos. http://quatrorodas.abril.com.br/autoservico/top50/2012.shtml (acedido a 9 de setembro de 2013).

SAE/PR – Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Seminário Políticas Públicas para a Nova Classe Média Brasileira (2011). 45 curiosidades sobre a nova classe média. http://www.sae.gov.br/novaclassemedia/?page_id=58 (acedido a 9

de setembro de 2013).

Sampaio, R. (2013). Propaganda de A a Z. 4a ed. Rio de Janeiro, Elsevier.

Sandmann, A. (1999). A linguagem da propaganda. São Paulo, Contexto.

Sant’anna, A. (2009). Propaganda: teoria e prática. 8a ed. rev. e ampl. São Paulo, Cengage Learning.

Serrentino, A. (2010). A nova classe média. http://www.brasileconomico.com.br/noticias/a-nova-classemedia_82800.html (acedido a 9 de setembro de 2013).

Sparvoli, R. (2012). Nova classe média é jovem, feminina e negra. http://varejo.espm.br/6458/nova-classe-mediae-jovem-feminina-e-negra (acedido a 9 de setembro de

.

Veja (2012). ‘Camaro Amarelo’, o vídeo mais visto no YouTube no Brasil. http://veja.abril.com.br/noticia/esporte/camaroa-amarelo-o-video-mais-visto-noyoutube-no-brasil (acedido a 10 de setembro de 2013).