A reinvenção do jornalismo: tecnologia mudando a forma de produzir e fazer jornalismo

Douglas Junio Fernandes Assumpção, Greicy Marianne Lopes G. C. Villegas

Resumo


As coisas mudam com o tempo. O jornalismo
também. As práticas de apuração e publicação são as
mesmas de outrora, os meios é que são diversos hoje. E
é preciso avançar com cautela frente às novas tecnologias
da comunicação social. A tecnologia sempre esteve
presente na história do jornalismo. Desde o surgimento
do papiro, do telefone, passando pelas saudosas máquinas
de escrever, até a utilização da realidade virtual para
contar um fato, o jornalismo nunca passou despercebido
pelas introduções das tecnologias no seu fazer. Sempre
que houve uma nova maneira de captar informação,
produzir ou distribuir conteúdo, o jornalismo teve seu
processo afetado. Aspecto que merece ser estudado, como
se propõe nesta pesquisa, é a necessidade de assimilar
a alta velocidade informativa imposta pela sociedade
do “agora” a partir do advento de novas tecnologias na comunicação social. Nosso desafio é contribuir com
conhecimento de campo e comparar estudos recentes e
consagradas pesquisas teóricas. Levando-nos a refletir
acerca de como o advento das novas tecnologias na
comunicação televisiva faz com que os jornalistas de tevê
adquiram habilidade para a atualização constante da
notícia minuto-a-minuto e a versatilidade na apuração
dos fatos em tempo real.


Palavras-chave


jornalismo; telejornalismo; imediatismo; televisão

Texto Completo:

PDF

Referências


Briggs, Mark. Jornalismo 2.0: Como sobreviver e prosperar – um guia de cultura digital na era da informação. Maryland: Knight Center for Journalism in

the Americas, 2007, p. 130.

Bonner, William. Jornal Nacional – Modo de fazer. Rio de Janeiro: Editora Globo, 2009.

Cardoso, Gustavo. A Mídia na Sociedade em Rede: Filtros, vitrines, notícias. Rio de Janeiro: FGV, 2007, p. 528.

Fortes, Leandro. Jornalismo Investigativo. São Paulo: Contexto. 2005.

Grisci, Carmem Lígia Iochis and RODRIGUES, Paulo Henrique. Trabalho imaterial e sofrimento psíquico: o pós-fordismo no jornalismo industrial. Psicol.

Soc. [online]. 2007, vol. 19, n.2, pp. 48-56. ISSN 1807-0310.

Kalakota, Ravi. ROBINSON Márcia (org.). M-business: Tecnologia Móvel e Estratégia de Negócios. São Paulo: Bookman, 2002, p.250.

Leal filho, Laurindo Lalo. A TV sob controle: a resposta da sociedade ao poder da televisão. São Paulo: SUMMUS, 2006, p. 180

Lindoso, Felipe (org). Rumos [do] jornalismo cultural. São Paulo: SUMMUS, 2007, p. 231.

Noblat, R. A arte de fazer um jorna diário. 3. Ed. São Paulo: Contexto, 2002, p. 174.

Tavares, Mariza; FARIA, Giovanni, (orgs). CBN-a rádio que toca notícia. Rio de Janeiro: editora SENAC, 2006