Precisa-se de jornalistas superheróis: Complexo de Peter Parker e as imagens do Rio de Janeiro nos Prêmios Esso de Jornalismo e Imprensa Embratel

Soraya Venegas Ferreira

Resumo


Como em qualquer outra categoria profissional, a
identidade do fotojornalista resulta de uma rede de
representações sociais que, através de um conjunto
de conceitos, técnicas e procedimentos, reproduz e
é produzida pelas práticas cotidianas originadas em
seu campo. Entre essas práticas estão as premiações
destinadas aos profissionais da área. No Brasil, os
Prêmios Esso de Jornalismo e Imprensa Embratel se
tornaram tão relevantes, que tendem a ser tomados como
capital simbólico, referência de bom exercício profissional
e, concomitantemente, evidenciam paradigmas da prática
fotojornalística. Entre as imagens premiadas, muitas
têm o Rio de Janeiro como cenário. Elas mostram uma
cidade mais próxima do caos do que das maravilhas que
a tornaram mundialmente conhecida. As fotos premiadas
retratam, em sua quase totalidade, a violência urbana e
parecem requerer de seus autores habilidades dignas dos
super-heróis da ficção.


Palavras-chave


Ethos do fotojornalista; prêmio Esso de fotografia; prêmio Imprensa Embratel de reportagem fotográfica; “Complexo de Peter Parker”; Rio de Janeiro

Texto Completo:

PDF

Referências


ALSINA, R. (2005). La construcción de la notícia. Barcelona: Paidós.

BOURDIEU, P. (1992). A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva.

______. (1983). O Campo científico em Sociologia. São Paulo: Ática.

______. (1994). Lições de aula. São Paulo: Ática. CAETANO, J. & FREITAS, L (s/d) Prêmio Imprensa Embratel – 10 Anos. Rio de Janeiro. Embratel

DIAS, R.(2008). A influência do prêmio Jornalista Amigo da Criança sobre o profissional de jornalismo: um estudo de caso. Dissertação. UNB. Brasília, http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/3548/1/2008_RobsonDias.pdf (acedido a 15 de abril de 2013).

DINES, A. (2002). “Prêmios e Galardões”, www.observatóriodaimprensa.com.br (acedido a 7 de março de 2013).

FACCIN, M. (2013) “A cidade e seus territórios: notas sobre as mediações jornalísticas cariocas” in FACCIN, M et al (ed). Narrativas da Cidade. Perspectivas

multidisciplinares sobre a urbe contemporânea. Rio de Janeiro. E-Papers. pp. 11-22.

LOUSADA, K. (2012) Prêmio Imprensa Embratel: jornalismo, prática e mediação. Rio de Janeiro: Embratel. http://www.institutoembratel.com.br/arquivos/livro13_pie.pdf (acedido a 7 de março de

.

MEMÓRIA BRASIL.(2006) Uma história escrita por vencedores – 50 anos do Prêmio Esso de Jornalismo, Rio de Janeiro, Memória Brasil.

RAMOS, S & PAIVA, A. (2007) Mídia e violência: novas tendências na cobertura de criminalidade e segurança no Brasil, São Paulo, Cesec.

SOUSA, J.P. (2004). Uma História Crítica do Fotojornalismo Ocidental. Chapecó: Argos

SONTAG, S. (2003) Diante da dor dos outros. São Paulo: Companhia das Letras

TRAQUINA, N. (2008) Teorias do Jornalismo – Volume II. Santa Catarina: Insular.

VIEIRA, A. (1998) “Sermão da Visitação de Nossa Senhora”. In.: Literatura Brasileira, textos literários em meio eletrônico, http://www.literaturabrasileira.

ufsc.br/_documents/0006-02072.html (acedido a 10 de abril de 2013)

VIEIRA, G. (1991) Complexo de Clark Kent. São superhomens os jornalistas?. São Paulo. Summus.

ZALUAR, A.(1999) “Violência e crime”. In: MICELI, S. (Org.). O que ler na ciência social brasileira (1970-1995). São Paulo: Sumaré/ANPOCS, p. 13-107, v. 1.