Projeto Gráfico e Contrato de Leitura: a Moda no Jornalismo de Revista

Márlon Uliana Calza, Ana Cláudia Gruszynski

Resumo


O artigo analisa o projeto gráfico das revistas impressas do
segmento de moda, problematizando o modo como seus
elementos gráficos conformam estratégias e percursos de
leitura, contribuindo para a constituição e manutenção
dos vínculos entre o meio e o leitor, através do contrato
de leitura, além de caracterizar o jornalismo de revista.
Trata-se de uma reflexão teórica fundamentada na
pesquisa bibliográfica, que traz reproduções de páginas
exemplares de revistas de moda que se articulam ao texto
como argumentos visuais. Conclui-se que no projeto
gráfico transparecem uma série de estratégias (editoriais,
comerciais e institucionais) que procuram delinear os
produtos e posicioná-los no mercado, com vistas (i)
à sua identificação com o seu segmento de atuação e
com aqueles periódicos de referência, a fim de se gerar
um reconhecimento; mas também com vistas (ii) à sua
diferenciação, considerando-se seu vínculo e/ou seu
aspecto de moda.


Palavras-chave


jornalismo; moda; revista; contrato de leitura; projeto gráfico

Texto Completo:

PDF

Referências


Ali, F. (2009). A arte de editar revistas. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

Alves, G., Neves, M., Rüthschilling, E. A. (2007). O elemento “rede de informação” na pesquisa de tendências. Anais do 3º Colóquio de Moda, realizado em Belo Horizonte.

Benetti, M. (2013) “Revista e jornalismo: conceitos e particularidades”, in Schwaab, R., Tavares, F. (Org.). A Revista e Seu Jornalismo. Porto Alegre, Editora Penso,

pp. 44-57.

Braga, J.; Nunes, M. (2006). Reflexões sobre moda. São Paulo: Anhembi Morumbi.

Calza, M.; Gruszynski, A. C. (2012). “Moda e comunicação: das pandoras às revistas”, in Paraguai, L.; Silva, J. (Org.). DAMT 8: Design, Arte, Moda e Tecnologia. 1ed. São

Paulo: Edições Rosari.

Charaudeau, P. (2007). Discurso das mídias. São Paulo: Contexto.

Frings, G. S. (2012). Moda: Do conceito ao consumidor. Porto Alegre: Bookman.

Gäde, R. (2002). Diseño de periódicos. Sistema y método. Barcelona: Gustavo Gili.

Gruszynski, A. C.; Calza, M. U. (2013). “Projeto gráfico: a forma de um conceito editorial”, in Schwaab, R., Tavares, F. (Org.). A Revista e Seu Jornalismo. Porto Alegre,

Editora Penso, pp. 203-220.

Gruszynski, A. C. (2012). “O papel do design no estabelecimento de contratos de leitura de jornais impressos: um estudo sobre a reforma gráfica de 2010

da Folha de S. Paulo (Brasil)”, in Revista Estudos em Comunicação, nº 12, 85-106.

Joffily, R. (1991). O Jornalismo e Produção de Moda. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Jones, S. J. (2005). Fashion design. Manual do Estilista. São Paulo: Cosac & Naify.

Laver, J. (1989). A Roupa e a moda: uma história concisa. São Paulo: Companhia das Letras.

Lipovetsky, G. (2009). O Império do Efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia de Bolso.

Mendonça, C. M. C. (2010). Um olhar sobre as mulheres de papel: tirania e prazer nas revistas Vogue. Belo Horizonte: UFMG/PPGCOM. Tese (Doutorado em

Comunicação Social). Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG.

Mira, M. C. (2001). O Leitor e a banca de revistas. São Paulo: Olho d’Água.

Mouillaud, M.; Porto, S. D. (Orgs). (2002). O jornal. Da forma ao sentido. Brasília: Universidade de Brasília.

Nascimento, P. (2002). Jornalismo em revistas no Brasil: um estudo das construções discursivas em Veja e Manchete. São Paulo: Annablume.

Neto, F. (2007). Contratos de leitura: entre regulações e deslocamentos. Anais do XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (INTERCOM), realizado em

Santos – SP, de 29 de agosto a 02 de setembro.

Polhemus, T. (1994). Street style: from sidewalk to catwalk. New York: Thames and Hudson.

Raymond, M. (2010). Tendencia: qué son, como identificarlas, em qué fijamos, como leerlas. Barcelona: Promopress.

Roche. D. (2007). A cultura das aparências: uma história da indumentária (séculos XVII-XVIII). São Paulo: SENAC SP.

Scalzo, M. (2004). Jornalismo de revista. São Paulo: Contexto.

Schwaab, R.; Tavares, F. (2009). “O tema como operador de sentidos no jornalismo de revista”, in Revista Galáxia. São Paulo, n. 18, p. 189-193, dez.

Simmel, G. [1902] 2005. “Psicologia da moda”, in Souza, J. e Öelze, B. Simmel e a modernidade. Brasília: UnB.

Sodré, M. (1977). A comunicação do grotesco: introdução à cultura de massa brasileira. 6. ed. Petrópolis: Vozes.

Storch, L. (2012). O leitor imaginado no jornalismo de revista: uma proposta metodológica. Porto Alegre: UFRGS/PPGCOM. 174p. Tese (Doutorado em Comunicação e Informação). Universidade Federal do

Rio Grande do Sul, UFRGS.

Tavares, F. (2011). Ser revista e viver bem: um estudo de jornalismo a partir de Vida Sim-ples. São Leopoldo: UNISINOS/PPGCC, 2011. 468. Tese (Doutorado em

Ciências da Comunicação). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS.

Verón, E. [1985] 2013. “El análisis del contrato de lectura. Un nuevo método para los estudios del posicionamento”, in: Les Medias: Experiences, recherches actuelles,

aplications. IREP, Paris. http://arfuch2.files.wordpress.com/2009/10/veron_eliseo_ analisis_del_contrato_de_lectura.pdf (acedido a 2 outubro de 2012).

Vilas Boas, S. (1996). O Estilo Magazine: o texto em revista. São Paulo: Ed. Summus.

Volonté, P. (2003). “Moda e stile: dall’egemonia del ciclo al cross dressing” in Volonté, P. (Org). La creatività diffusa. Culture e mestieri della moda oggi. Gorgonzola:

FrancoAngeli.

Zappaterra, Y. (2009). Diseño Editorial. Periódicos y revistas. Barcelona: Gustavo Gili.