A hierarquização de notícias e os comentários do público nos sites de quatro diários portugueses

Helena Lima, Isabel Reis

Resumo


Os comentários nos sites noticiosos têm sido considerados
uma ferramenta ao dispor da cidadania em que o público
pode exprimir as opiniões sobre as temáticas publicadas
e validar a atividade informativa. O meio digital facilita
a interatividade, estimula-a ao funcionar como uma
ferramenta que aumenta a vontade de participar (Sundet;
Ytreberg, 2009). No entanto, a interatividade na Internet
vai muito além do simples click que possibilita a selecão
e a navegação (Schultz, 1999). No campo do jornalismo
digital a real possibilidade do recetor se tornar um
produtor de conteúdos parece estar muito condicionada
e o público geralmente escolhe e comunica preferências
que o emissor regista, satisfaz e organiza, filtrando
comentários e decidindo os que são publicados (Wardle;
Williams, 2010).
A interatividade enquanto característica do meio digital é
entendida como uma aferição de audiências e do interesse
público já que é através dos comentários e do número
de visualizações que os leitores manifestam as suas
preferências. A interatividade pode também ser entendida
como um contributo para a reconfiguração editorial dos
sites que podem escolher os destaques e definir a agenda
mediática em função dos comentários expressos no site.
Este estudo incide em quatro sites de jornais diários com
políticas editoriais distintas: Público, Diário de Notícias,
Correio da Manhã e Jornal de Notícias. Os dois primeiros
são considerados os jornais de referência, tendo, portanto,
uma particular responsabilidade na relação entre o poder
informativo e os processos de cidadania. CM e JN têm
orientações editoriais mais próximas, com temáticas e
estilos narrativos que tendem a suscitar a participação
do público, ainda que o primeiro se aproxime mais do
formato tabloide, incorporando as típicas temáticas
escândalo, desporto, vida privada (Zoonen, 1998; Sparks,
2000, Deuze, 2005).
O objetivo deste estudo é o de aferir se o perfil editorial
corresponde à categorização atribuída através do
estudo da hierarquia noticiosa apresentada, e procurar
verificar se existe uma correspondência nas preferências
e comentários dos leitores revelando uma aproximação
entre a agenda noticiosa e a agenda pública (Boczkowski;
Michtchelstein, 2010).
Para a amostra foi aleatoriamente escolhido o período de
um mês, em que manchetes e comentários dos quatro sites
foram fotografados às 23:00. O critério de seleção recaiu
apenas nos destaques da página e respetivos comentários.
A análise foi organizada segundo a separação por secções/
editorias a fim de conhecer melhor o perfil editorial e
para tentar encontrar uma ligação entre estes temas e
as escolhas do público nos comentários das notícias. A
participação dos leitores obedece ainda a uma análise de
conteúdo sobre uma amostra selecionada.


Palavras-chave


jornais online; jornalismo de referência; jornalismo popular; interatividade; comentários

Texto Completo:

PDF

Referências


Anuário da Comunicação 2006-7, (2008), Obercom (acedido a 23 de Julho de 2013)

Netscope da Marktest - http://netscope.marktest.pt/ (acedido a 23 de Julho de 2013)

Bareme Imprensa da Marktest in http://www.marktest.com (acedido a 23 de Julho de 2013)

Boczkowski, P. J., Mitchelstein, E. (2010) – Is there a Gap between the News Choices of Journalists and Consumers? A Relational and Dynamic Approach. The International Journal of Press/Politics, originally

published online 22 August 2010, in http://hij.sagepub.com/content/15/4/420 (acedido a 3 de Julho de 2013)

Cardoso, G. (coord), (2006) “Dietas de Media em Portugal: televisão, imprensa, rádio e internet” – Working Report 2006, Obercom, in http://www.obercom.pt/client/?newsId=30&fileName=wr8.pdf (acedido a 5 de

Julho de 2013)

Deuze, M. (2005). Towards Professional Participatory Storytelling in Journalism and Advertising, First Monday 10 (7). in http://www.firstmonday.dk/issues/issue10_7/deuze/index.html (acedido a 5 de Julho de 2013)

Deuze, M. (2003) “The Web and its journalisms: Considering the consequences of different types of news media online,”New Media & Society, volume 5, number

, pp. 203–230.

Schultz, T. (1999) - Interactive Options in Online Journalism, in http://jcmc.indiana.edu/vol5/issue1/schultz.html#Method (acedido a 2 de Julho de 2013)

Lima, H. D; Reis, A. I. Reis (2012) Interactivity on TVI and SIC news websites: public participation and editorial criteria, Observatorio (OBS*) Journal, vol 2, nº

, pp 177-200, in http://obs.obercom.pt/index.php/obs/article/view/552/493 (acedido a 23 de Junho de 2013)

Reis, A. e Lima, H. (2011) A cultura participativa nos sites de rádio portugueses, Confibercom, Livro de Actas do 1º Congresso Mundial de Comunicação Ibero-Americana

(CONFIBERCOM), Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA - USP), São Paulo, v. 1, 31 Julho-4 Agosto, São Paulo, Brasil In http://confibercom.org/anais2011/pdf/7.pdf (acedido

a 23 de Junho de 2013)

SPARKS, C. (2000) Tabloid Tales: Global Debates Over Media Standards, Rowman & Littlefield, Maryland

Sundet, V; Ytreberg, E. (2009),Working Notions of Active Audiences: Further Research on the Active Participant in Convergent Media Industries, Convergence, The

International Journal of Research into New Media Technologies, nov. 15, p. 383-390

Wardle, C. & William, A., (2010) - Beyond user-generated content: a production study examining the ways in which UGC is used at the BBC, Media Culture Society 2010 32: 781, in

http://mcs.sagepub.com/content/32/5/781 (acedido a 10 de Julho de 2013)

Zoonen, L. van (1998). A professional, unreliable, heroic marionette (M/F): structure, agency and subjectivity in contemporary journalisms, European Journal of Cultural

Studies 1 (1), pp.123-143.