Estratégias transmediáticas e reações dos públicos de TV

Fernanda Castilho

Resumo


Ao refletir acerca dos fenómenos digitais, a
partir de conceitos que permeiam o momento histórico
de mudanças tecnológicas, somos levados a acreditar
que a introdução da internet constitui um momento de
viragem, tanto para os media, bem como para os públicos
e processos comunicativos.
Sobretudo em relação aos produtos televisivos, o impacto
das novas tecnologias digitais concretiza-se em diferentes
frentes. Uma delas, a crescente migração das audiências
para a assistência noutras plataformas, geralmente
com auxílio da internet, resultando no surgimento de
novas formas de relacionamento entre produtores e
consumidores. A proposta deste trabalho é perpassar
termos e conceitos, no intuito de compreender as
estratégias transmediáticas de quatro títulos de ficção
dos canais generalistas portugueses. Interessa-nos,
igualmente, avançar para um estudo de receção, para
observar as reações do público nas caixas dos comentários
publicados no site de partilha de vídeos em streaming
YouTube.


Palavras-chave


novas tecnologias digitais; televisão; transmedia storytelling; transmediação; YouTube

Texto Completo:

PDF

Referências


Bell, D. J. (2001). A introduction to cybercultures. Londres: Routledge.

Bell, D.; B. D. Loader; N. Pleace; D. Schuler (2004). Cyberculture: The Key Concepts. Londres: Routledge.

Cádima, F. (1998). Mitos e realidades das indústrias da convergência. Disponível em http://www.bocc.ubi.pt/pag/_texto.php?html2=cadima-mitos-realidadesindustrias-

convergencia.html (acedido em 20 de agosto de 2013)

Cardoso, G; R. Cheta; R. Espanha (2006). Estratégias de Sucesso na Ficção TV Nacional: Estudo de Caso das ‘Telenovelas Juvenis’. Research Report 2006, Lisboa:

OberCom.

Castells, M. (2003). A era da informação: economia, sociedade e cultura - O fim do milénio. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

________________(2004). A galáxia Internet: reflexões sobre Internet, negócios e sociedade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Damásio, M. (2004). Modelos de Personalização de conteúdos em Audiovisual: novas formas de aceder a velhos conteúdos. In: Actas do III SOPCOM, VI

LUSOCOM, II IBÉRICO, Covilhã, Portugal.

Deleuze, G. e F. Guattari (2006). Rizoma. Lisboa: Assírio e Alvim.

Eco, U. (1994). Seis Passeios nos Bosques da Ficção. Lisboa: Difel.

Evans, E. (2011). Transmedia television: audiences, new media and daily life. Nova Iorque: Routledge.

Gomez, J. (2008). Print is dead: Books in our digital age. Palgrave Macmillan.

Jameson, F. (2001). Postmodernism or the cultural logic of late Capitalism. In: D. Kellner e M. Durham, ed. Media and Cultural Studies, KeyWorks. Malden, MA: Blackwell,

pp. 550-587.

Jenkins, H. (2009). Cultura da convergência. São Paulo: Aleph.

Kozinets, R. (2010). Netnography: doing ethnographic research online. Londres: Sage.

Lévy, P. (1994). Inteligência colectiva: para uma antropologia do ciberespaço, Lisboa: Instituto Piaget.

________________ (1997). Cibercultura, Lisboa: Instituto Piaget.

McLuhan, M. (2008). Compreender os meios de comunicação: extensões do homem. Lisboa: Relógio D’Água.

McQuail, D. (2003). Teoria da comunicação de massas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Murray, J. (1997). Hamlet on the Holodeck – The future of narrative in cyberspace. Cambridge: The MIT Press.

Poster, M. (2000). A segunda Era dos Media. Oeiras: Celta Editora.

________________ (2001). Postmodernism Virtualities. In: D. Kellner e M. Durham, ed. Media and Cultural Studies, KeyWorks. Malden: Blackwell, pp.

-625.

Scolari, C.A., M. Jiménez, M. Guerrero (2012). Narrativas transmediáticas en España: cuatro ficciones en busca de un destino cross-media. Comunicación y Sociedad, 25

(1), pp. 137-163.

Toffler, A. (1981). The third wave. New York, Bantam books.

Traquina, N. (1997), Big Show Media: viagem pelo mundo do audiovisual português. Lisboa: Ed. Notícias.

Turkle, S. (1997). A vida no ecrã – a identidade na era da Internet. Lisboa: Relógio D’água.

Vilches, L. (2003). A migração digital. São Paulo: Edições Loyola.

Wolton, D. (2000). E depois da Internet? Para uma teoria crítica dos novos médias. Lisboa: Difel.