A edição da notícia na TV em função da transformação da tecnologia

Washington José de Souza Filho

Resumo


A utilização da tecnologia digital estabeleceu
transformações em relação ao jornalismo e a atuação
do jornalista, entre as quais no processo de edição da
notícia na televisão, com o uso do sistema digital de
edição não linear. A utilização do sistema revela um
processo de convergência, influenciada pela tecnologia,
relacionada à face profissional. A edição da notícia na
televisão é um procedimento marcado pela assimilação
da linguagem do cinema, que impõe com a transformação
determinada pela tecnologia a compreensão do papel
desempenhado pelo jornalista, diante da possibilidade do
estabelecimento de um protagonismo da sua atuação, com
a alteração do perfil de trabalho. Esta é a questão que é
colocada como a de maior importância, em consequência
das modificações geradas pela tecnologia, em relação
às mudanças nas rotinas de edição da noticia, com a
implantação do sistema digital não linear.
Palavras-chave: jornalismo televisivo – edição digital –
perfil do jornalista – convergência profissional.
A transformação promovida pela tecnologia estabeleceu
modificações diversas em relação ao jornalismo, quanto
à realização e a atuação dos jornalistas, em função da
alteração do perfil de trabalho e da natureza das suas
atividades. As mudanças, de uma forma geral, são
compreendidas como uma consequência da presença
da tecnologia, em relação à sua face digital. Uma
transformação que é mais destacada em relação à
televisão, um meio em que a operação e o trabalho dos
profissionais têm vinculação direta com processos e
procedimentos determinados pela tecnologia.
O ponto em questão, referência básica desta comunicação,
é uma consequência deste quadro de transformação, uma
consequência da tecnologia digital. Uma alteração que
tem ocorrido em emissoras de várias partes do mundo. O
uso da tecnologia digital, em função do desenvolvimento
permitido pela indústria eletroeletrônica, com a
associação aos recursos permitidos pela informática e a
telecomunicação, estabeleceu o uso do computador como
equipamento básico de trabalho nas redações, tem relação
direta com esta mudança.
Esta comunicação é parte de um projeto de investigação,
realizado na Universidade da Beira Interior, em Covilhã,
para a obtenção do doutoramento em Ciências da
Comunicação, intitulado A transformação da tecnologia:
mudanças nas rotinas de edição da notícia em telejornais
do Brasil e de Portugal, com financiamento da Capes
(Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível
Superior), órgão do Ministério de Educação do Governo
brasileiro.


Texto Completo:

PDF

Referências


Aguado, J.,& Torres, M. (2010). Convergencias e nuevas rotinas profesionales: luces y sombras del periodista polivalente en las redacciones espaañolas.

In Garcia, X.,& Fariña, X. (coords.). Convergencia digital: reconfiguración de los medios de comunicación en España. Santiago de Compostela (pp.129 -148).

Universidade, Servizo de Publicacións e Intercambio Científico.

Arnett, P. .(1994). Ao vivo do campo de batalha – do Vietnã a Bagdá, 35 anos em zonas de combate de todo o mundo. (A. Rodrigues, Trad.). Rio de Janeiro: Rocco.

(Obra original publicada em 1994).

Bandrés, E.,Garcia Avilés, J.,Peréz, G. & Peréz, J. (2002). El periodismo en la televisión digital. Barcelona: Paidós.

Bernal, A.,Domingo,D.,Iglesias, M.,Masip, P.,& Micó, J. (2013). Un dia en la redacción digital. In Cabrera, M. (coord.). Evolución de los cibermedios: de la

convergencia digital a la distribuición multiplataforma. Madrid (pp.321-330). Editoral Fragua.

Boccanera, S. (1997). Jogo duplo. São Paulo: Moderna. Canelas, C. (2010, novembro). Os processos de produção de conteúdos noticiosos na RTP. Anais do III Seminário

Internacional Media, Jornalismo e Democracia, Lisboa, Portugal.

Castells, M. (2011). A sociedade em rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura (A. Lemos, C. Lorga e Tânia Soares, Trad), Vol. 1 (4ª. ed.). Lisboa:

Fundação Calouste Gulbenkian.

Esperidião, M. (2007, agosto e setembro). A era do “kit correspondente”: tendências da cobertura internacional no telejornalismo brasileiro.Anais do XXX Congresso

Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom). Santos, SP, Brasil. Recuperado em 15 de janeiro, 2012 em http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2007/

resumos/R1175-1.pdf .

Fidalgo, J. (2008). O jornalista em construção. Porto: Porto Editora.

Garcia Avilés, J. (2006).Las redacciones de los canales “todos noticias” como laboratorio periodístico: los casos de BBC News 24 y Rainews 24.Trípodos, número 19

(pp.83-97).

Garcia, X., & Fariña, X. (coords.). (2010). Convergencia digital: reconfiguración de los medios de comunicación en España. Santiago de Compostela. Universidade,

Servizo de Publicacións e Intercambio Científico.

Hailey, A.(1990). O jornal da noite (A Lemos & C. Sussekind, Trad.). Record: São Paulo. (Obra original publicada em 1990).

Henning, H. (1996). Via Satélite. São Paulo: Globo.

Iglesias, M. (2009).La edición en televisión(I): el poder secreto, nunca revelado, de un ofício mágico(I). Envivo,222. Recuperado em 3 de setembro, 2011 em http://www.envivo.icrt.cu/tecnologia/222-la-edicionen-

television-i-el-poder-secreto-nunca-revelado-de-unoficio-magico.

Keirstand, P. (2005). Computers in broadcast and cable newsrooms. Using techonology in television news production. Mahwah, NJ: LEA (Lawrence Erlbaum

Associates).

Manovich, Lev. (2011). El lenguaje de los nuevos medios de comunicación – la imagem en la era digital (3ª. ed.) (O. Fontrodona, Trad.). Barcelona: Paidós.(Obra original

publicada em 2001).

Micó, J. (2008). Ciberperiodismo e información em la TDT: similutudes y diferencias.Trípodos (pp. 101-117), 22.

Micó, J. (2006) Teleperiodisme Digital. Barcelona: Trípodos.

Noci, J. (2010). Antena 3: convergencia técnica centrada en la televisión y polivalencia redactores-cámaras. In Garcia, X.,& Fariña, X. (coords.). Convergencia

digital: reconfiguración de los medios de comunicación en España. Santiago de Compostela (pp.223-231). Universidade, Servizo de Publicacións e Intercambio

Científico.

Ohanian, T. (1998). Digital nolinear editing – editing film and videotape on the desktop (2th. ed.). Butterworth-Heinermann, MA: Focal Press.

O’ Neill, D., & Harcup,T. 2009. News values and selectivity. In K. Wahl-Jorgensen & T. Hanitzseh (Eds.). The handbook of journalism studies (pp.161-174).

Routledge: New York.

Palacios & Noci,J. 2007 (Eds.). Cibeperiodismo: métodos de investigación – uma aproximación multidisciplinar en una perspectiva comparada. Salvador: Edufba.

Pavlik, J.(2005).El periodismo y los nuevosmedios de comunicación (O. Fontrodona, Trad.).Barcelona:Paidós. (Obra original publicada em 2001).

Quandt, T., & Singer,J. (2009).Convergence and crossplataform content production. In K. Wahl-Jorgensen & T. Hanitzseh (Eds.). The handbook of journalism studies

(pp.130-144). Routledge: New York.

Salaverria, R. (2010). Estrutura de la convergência. In Garcia, X., & Fariña, X. (coords.). Convergencia digital: reconfiguración de los medios de comunicación

en España. Santiago de Compostela (pp. 27-40). Universidade, Servizo de Publicacións e Intercambio Científico.

Salaverria, R.,& Garcia Avilés, J. (2008). La convergencia tecnológica en los medios de comuncación: retos para el periodismo. Trípodos, número 23 (pp.31-47).

Scolari, C., Micó, J.,Guere, H., & Kuklinski, H.(2008). El periodista polivalente.Transformaciones el perfil del periodista a partir de la digitalización de los medios

audiovisuales catalanes.Zer, vol. 13, n. 25 (pp. 37-60).

Villain, D. (1994). El Montaje (A. Martorel, Trad.). Madrid: Ediciones Cátedra.

Wolf, M.(1987). Teorias da comunicação. (M. Figueiredo, Trad.). Lisboa: Editorial Presença. (Obra original publicada em 1985).