Programa “Bem Estar”: Jornalismo a serviço da qualidade de vida

Alice Balbé, Bárbara Henriques, Bárbara Weise

Resumo


Diante da era moderna caracterizada pela fluidez do
tempo, faz-se importante programas televisivos que
consigam aliar o entretenimento à informação. Uma vez
que a televisão atinge mais de 95% dos lares brasileiros,
este artigo se propõe a fazer uma análise de conteúdo
do programa telejornalístico especializado em saúde
“Bem Estar”. O programa é transmitido diariamente,
em direto, durante as manhãs, de segunda à sexta-feira,
na TV aberta, pela Rede Globo de Televisão. Por meio
da metodologia da semana composta, foram analisados
12 programas durante o mês de janeiro de 2013, a fim
de se identificar o processo de promoção de cidadania
neste formato. O programa aborda temáticas que
fomentam o conhecimento sobre saúde e alimentação,
assim como promove o bem-estar e a qualidade de vida.
Mostra também a tendência de uma televisão interativa,
identificando a participação do público ao sugerir pautas
e participar do programa, característica marcante da era
da pós-modernidade.


Palavras-chave


televisão; jornalismo; qualidade de vida

Texto Completo:

PDF

Referências


Abiahy, C. A. (2000) O jornalismo especializado na sociedade da informação. Disponível em http://bocc.ubi.pt/pag/abiahy-ana-jornalismo-especializado.pdf

(acedido a 14 de julho de 2013)

Aroso, I. (2013) A saúde nos media: a participação do cidadão. http://www.bocc.ubi.pt/pag/aroso-ines-2013-saude-nos-media.pdf (acedido em 2 de junho de 2013)

Bauman, Z. (2000) Modernidade Líquida. Rio de Janeiro, Zahar.

Cajazeira, P. L. (2012) O poder simbólico e argumentativo do discurso em programas jornalísticos de televisão. Zer: Estudos em Comunicação, nº 12, pp. 255-277. http://

www.ec.ubi.pt/ec/12/pdf/EC12-2012Dez-13.pdf (acedido a 18 de março de 2013)

Cavalcante, A. Lordêlo, T. (2012) Convergência e Jornalismo como construtor da realidade social: uma análise da coparticipação das fontes no site G1 PE http://

www.intercom.org.br/papers/regionais/nordeste2012/resumos/R32-0518-1.pdf (acedido em 20 de março de 2013)

Domingos, A.A. (2008). Storytelling: Fenômeno da Era da Liquidez http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/view/3085 (acedido a 16 de julho

de 2013)

Frazão, S. M. (2012) Jornalismo participativo no telejornal: o telespectador como produtor de conteúdo. Disponível em http://www6.univali.br/seer/index.php/

vd/article/view/4311/2519 (acedido a 13 de julho de 2013)

Duarte, E. B.; Castro, M. L. D. (2007) Comunicação Audiovisual – Gêneros e formatos. Porto Alegre, Brasil, Sulina.

Espanha, R. (2007) A Saúde na Sociedade de Informação. Disponível em http://www.lasics.uminho.pt/ojs../index.php/5sopcom/article/viewFile/184/180 (acedido a 13 de

julho de 2013)

Herculano, S. (2000) A qualidade de vida e seus indicadores. http://www.ivt-rj.net/ivt/bibli/herculano.pdf (acedido a 22 março de 2013)

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e estatística - http://www.ibge.gov.br/home/ (acedido em 05 de abril de 2013)

Oliveira, G., Nogueira, M., Oliveira, P., Mendes, M. (2012) Bem Estar e jornalismo pedagógico: a tv como lugar de referência http://www.intercom.org.br/papers/

regionais/nordeste2012/resumos/R32-1178-1.pdf (acedido a 15 de março de 2013).

Rezende, G. J. (2010), In Melo, J. M.; Assis, F. Gêneros jornalísticos no Brasil. São Paulo, Universidade Metodista de São Paulo, p. 292.

Veras Júnior, J. S. (2005) Da informação ao conhecimento: o jornalismo científico na contemporaneidade. http://www.bocc.ubi.pt/pag/soares-jose-dissertacao.pdf

(acedido a 18 de março de 2013).

Vizeu, A. (2009) O telejornalismo como lugar de referência e a função pedagógica. Zer: Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, Vol. 1, Nº40, pp 77-83. http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/

index.php/revistafamecos/article/view/6321 (acedido a 10 de março de 2013).