A privatização da RTP como narrativa simbólica do poder político

Nuno Conde

Resumo


A comunicação tem por objeto a análise do tema
da privatização da RTP como estratégia de Comunicação
Política, no período compreendido entre finais de 1997,
altura em que Marcelo Rebelo de Sousa, então líder do
PSD, sugeriu propor a privatização da RTP, e o primeiro
semestre de 2013, momento em que o XIX Governo
Constitucional decidiu suspender o então anunciado
processo de privatização da RTP.
A partir de um conjunto de dados secundários,
designadamente, a imprensa escrita, comunicados oficiais
e o arquivo da Assembleia da República, procurou-se
alcançar respostas para as seguintes interrogações: Em
que contexto é que o tema da privatização da RTP (re)
surge continuamente ao longo do tempo? Quais são os
elementos centrais da narrativa política em prol, ou
contra, a ideia de privatização da RTP? Existe, ou não,
um antagonismo ideológico entre o pensamento político
de esquerda e o de direita relativamente ao tema da
privatização da RTP?
Como resultado da investigação concluímos que
a comunicação política em torno da ideia da privatização
da RTP é utilizada como estratégia simbólica de afirmação
política. A discussão em torno da RTP assume uma
natureza simbólica, mobilizadora de outros significados,
designadamente, de opções ideológicas sobre o papel do
Estado na sociedade e na economia.


Palavras-chave


comunicação política; opinião pública; poder; regulação; RTP; serviço público

Texto Completo:

PDF

Referências


Bardoel, J. and D’Haenens, L. (2008a). Public Service Broadcasting in Converging Media Modalities: Practices and Reflections from the Netherlands. Convergence, 14

(3), pp. 351-360.

Bardoel, J. and D’Haenens, L. (2008b). Reinventing public services broadcasting in Europe: prospects, promises and problems. Media Culture Society, 30(3),

pp. 337-355.

Bardoel, J. and Lowe, G. (2008) “From Public Service Broadcasting to Public Service Media. The core challenge”, in Lowe, G. and Bardoel, J. (ed.), From Public Service

Broadcasting to Public Service Media. Gothenburg, Nordicom, pp. 9-24.

Blumler, J. (1992) “Public Service Broadcasting before the Comercial Deluge”, in Blumler, J. (ed.), Television and the public interest. Vulnerable values in West European

Broadcasting. London, Sage Publication, pp. 7-21.

Blumler, J. (1993). Meshing Money with Mission: Purity versus Pragmatism in Public Broadcasting. European Journal of Communication, 8, pp. 403-424.

Born, G. (2006). Digitising Democracy. The Political Quarterly, 76 (1), pp. 102-123.

Cádima, F. R. (2010). La legitimación de los medios publicos en la era digital. TELOS - Cuadernos de Communicación y Innovación, 83, pp. 13-22.

http://sociedadinformacion.fundacion.telefonica.com/url-direct/pdf-generator?tipoContenido=articuloTelos&idContenido=2010051112120001&idioma=es (acedido a

de Junho de 2012)

Cádima, F. R. (2011) “Reflexão sobre a televisão pública europeia no contexto de transição para o digital”, in Freire Filho, J. and Borges, G. (org.), Estudos de Televisão.

Diálogos Brasil-Portugal. Porto Alegre, Editora Meridional, pp. 183-204.

Carvalho, A. A. (2009). A RTP e o Serviço Público de Televisão. Coimbra, Edições Almedina.

Collins, R. (2010) “From Public Service Broadcasting to Public Service Communication”, in Lowe, G. F. (ed.), The Public in Public Service Media. Gothenburg, Nordicom,

pp. 53-66.

Cuilenburg, J. and Slaa, P. (1993). From Media Policy towards a national Communications Policy: Broadening the Scope. European Journal of Communication, 8,

pp.149-176.

Enli, G. S. (2008). Redefining Public Service Broadcasting: Multi-Platform Participation. Convergence, 14(1), pp. 105-120.

Fidalgo, J. (2003) “De que é que se fala quando se fala em serviço público de televisão?”, in Pinto, M. (coord.), Televisão e cidadania. Contributos para o debate

sobre o serviço público. Braga: Núcleo de Estudos de Comunicação e Sociedade, Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, pp. 13-30.

Figueiras, R. (2005). Os Comentadores e os Media. Os autores das colunas de opinião. Lisboa, Livros Horizonte.

Hallin, D. C. and Mancini, P. (2010). Sistemas de Media: Estudo Comparativo. Três Modelos de Comunicação e Política. Lisboa, Livros Horizonte.

Iosifidis, P. (2007). Public Television in the Digital Era. Hampshire, Palgrave Macmillan.

Iosifidis, P. (2010) “Pluralism and funding of Public Service Broadcasting across Europe”, in Iosifidis, P. (ed.), Reinventing public service communication. European

broadcasters and beyond. Hampshire, Palgrave, pp.23-34.

Jakubowicz, K. (2008) “Public Service Broadcasting in the 21st. Century. What chance for a new beginning ?”, in Lowe, G. F. and Bardoel, J. (ed.), From Public Service

Broadcasting to Public Service Media. Gothenburg, Nordicom, pp. 29-49.

Jakubowicz, K. (2010) “PSB 3.0: reinventing European PSB”, in Iosifidis, P. (ed.), Reinventing public service communication. European broadcasters and beyond.

Hampshire, Palgrave, pp. 9-18.

Lowe, G. F. (2010) “Beyond Altruism. Why Public Participation in Public Service Media Matters”, in Lowe, G. F. (ed.), The Public in Public Service Media.

Gothenburg, Nordicom, pp. 9-35.

Luhmann, N. (2006) “Complexidade societal e opinião pública”, in Pissara Esteves, J. (org.), A improbabilidade da comunicação. Lisboa, Veja, pp. 65-89.

Mesquita, M. (2003). O Quarto Equívoco. O poder dos media na sociedade contemporânea. Coimbra, Edições MinervaCoimbra.

Nissen, C. S. (2006). Public service media in the information society. Strasbourg, Council of Europe.

Pinto, M. (2003) “Pensar e projectar o serviço público com a participação do público”, in Pinto, M. (coord.), Televisão e cidadania. Contributos para o debate

sobre o serviço público. Braga, Núcleo de Estudos de Comunicação e Sociedade, Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, pp. 33-53.

Raboy, M. (1995) “Introduction”, in Raboy, M. (ed.), Public Broadcasting for the 21st. Century. Luton, University of Luton Press.

Serrano, E. (2010). A especificidade do serviço público de televisão num contexto de fragmentação dos públicos e de multiplicação de plataformas. Jornalismo & Jornalistas,

, pp. 5-17.

Thompson, J. B. (1988). Mass Communication and Modern Culture: Contribution to a Critical Theory of Ideology. Sociology, 22(3), pp. 359-383.

Torres, E. C. (2011). A Televisão e o Serviço Público. Lisboa, Fundação Franscisco Manuel dos Santos.

Wolton, D. (1989). La communication politique: construction d’un modèle. Hermès, 4, pp.27-42, http://hdl.handle.net/2042/15353 (acedido a 15 de julho

de 2013).