O discurso religioso nas eleições à Prefeitura da cidade de São Paulo em 2012: a mídia conta esta história

Rosangela Ferreira de Carvalho Borges

Resumo


A referida proposta de Comunicação busca
apresentar algumas questões levantadas sobre a
imbricação entre discurso religioso e discurso político na
campanha eleitoral à Prefeitura da cidade de São Paulo
(Brasil) no ano de 2012, sob a perspectiva de Mikhail
Bakhtin, filósofo da linguagem, especificamente aquelas
que dizem respeito à dialogia, identidade e alteridade. Os
discursos, enquanto dado da materialidade linguística,
foram recolhidos dos noticiários publicados na Editoria
de Poder do jornal impresso Folha de S. Paulo, nos meses
de agosto a novembro de 2012, período estipulado pela
Justiça. Eleitoral Brasileira como aquele que permite a
propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão, à
promoção de comícios e a realização de debates no rádio
e na televisão.Assim, diante do exposto, o nosso objetivo
principal é compreender e interpretar o discurso religioso
encontrado no discurso político da campanha eleitoral à
Prefeitura da cidade de São Paulo, no ano de 2012, com
o intuito de estabelecer pontes epistemológicas entre as
questões éticas - construídas e reconstruídas no processo
de redemocratização nos últimos trinta anos na sociedade
brasileira -, os discursos midiáticos e as relações espaço
laico e espaço religioso no Brasil contemporâneo.


Palavras-chave


discurso; mídia; religião e política

Texto Completo:

PDF

Referências


Bakhtin, M. (1993). A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais (tradução de Yara Frateschi Vieira). São Paulo, HUCITEC; Brasília, Editora da Universidade de Brasília.

Betto, F. (2006) Batismo de Sangue – Guerrilha e Morte de Carlos Marighella. Rio de Janeiro, Editora Rocco. Boletim Unicap. Disponível em: http://www.unicap.br/assecom1/?p=41002 a(cedido a 28 de agosto de 2013).

Correia, J. C. A fragmentação do espaço público: novos desafios ético-políticos. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt (acedido em 12 de janeiro de 2013).

Dossiê Ditadura: mortos e desaparecidos políticos no Brasil, 1964-1985. (2009) São Paulo, IEVE/Imprensa Oficial do Estado de S.Paulo.

Folha de S. Paulo (2 de setembro de 2012). Folha é o jornal com mais leitores na Grande São Paulo. São Paulo, Editoria Poder, p. A19.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia. Disponível em: http://www.ibge.org.br/ (acedido em 20 de agosto de 2013).

Martelli, S. (1995). A religião na sociedade pós-moderna: entre secularização e dessecularização. São Paulo. Paulinas.

Novaes, R. (2005). Juventude, percepções e comportamentos: a religião faz diferença?, in Abramo, H.; Branco, P. P M. (org.). Retratos da Juventude Brasileira – Análises de uma pesquisa nacional. São Paulo, Editora Fundação Perseu Abramo e Instituto Cidadania, p. 263 – 290.

Teles. E. (2012). O que resta da ditadura. São Paulo, Boitempo.

Ponzio, A. (2013). No círculo com Mikhail Bakhtin. São Carlos, Pedro & João Editores, 2013.