Os Estudos Culturais e a televisão: a narrativa televisiva em tempos de identidades em transição

Leila Lima de Sousa

Resumo


Este artigo objetiva discutir sobre a influência da mídia,
sobretudo da televisão, como co-produtora identitária
da população. Utiliza-se como referencial teórico, os
Estudos Culturais e a colaboração destes para um novo
olhar sobre a cultura e a construção de identidades.
Parte-se aqui, da concepção de identidade como um
processo que se constroi ao longo do tempo, através
do contato com o outro. A metodologia usada nesse
trabalho refere-se à revisão bibliográfica de autores que
teorizam sobre a temática de análise. Conclui-se que,
na era contemporânea, de esfacelamento do Estadonação
e perda de referência dos sujeitos, a televisão tem
um papel ambivalente de construção de identidades.
De um lado, atua como uma fonte de legitimação de
identidades nacionais, ofertando ao público um lugar
de representação e semelhança. De outro, tenta inserilo
num contexto global, provocado pela aceleração do
processo de globalização, que produz cada vez mais,
realidades identitárias híbridas.


Palavras-chave


culturais; identidade; televisão

Texto Completo:

PDF

Referências


Canclini, N. G.(1995) Consumidores e Cidadãos. 5ª Ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ.

______.(2011) Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: UNESP.

Coutinho, I.; Fernandes, L. (2007). Telejornalismo local e Identidade: O Jornal da Alterosa e a construção de um lugar de referência. In: VII Encontro de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, 2007, Juiz de Fora: Anais...Juiz de Fora: UFJF.

_____.; Mata, J. (2010). Uma programação para chamar de sua: televisão, narrativa e participação popular. In: Contemporanea: Revista de comunicação e cultura, UFBA, vol. 8, nº2, p 1-19, Dez.

Escosteguy, A. C.(2001) Cartografias dos Estudos Culturais: uma versão latino-americana. Belo Horizonte: Ed. Autêntica.

______. (2006) Estudos Culturais: as margens de um programa de pesquisa. In: Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. São Paulo, v. 6 p. 1 -16.

______. 2010. Estudos Culturais: uma introdução In: T. T., SILVA (org.), O que é, afinal, Estudos Culturais?. 4ed. Belo Horizonte, Autentica, p.133 – 223.

Giddens, A.(2003). Mundo em descontrole: o que a globalização está fazendo de nós. 3 ed. Rio de Janeiro: Record.

Hall, S.(2000). A identidade cultural na pósmodernidade. Rio de Janeiro: DP&A.

______. Da Diáspora (2003): Identidades e Mediações Culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Fheaterstone, M.(1997). O desmanche da cultura: globalização, pós-modernismo e identidade. Tradução de Carlos Eugênio Marcondes de Moura. São Paulo: Studio Nobel SESC.

Hobsbawn, E. J; Ranger, T.(2012). A Invenção das tradições. São Paulo: Paz e Terra.

Johnson, R(2010). O que é, afinal, Estudos Culturais? In: SILVA, Tomaz Tadeu(org.). O que é, afinal, Estudos Culturais? . Autêntica, Belo Horizonte, p. 7-132.

Kellner, D.(2001). A cultura da mídia: Estudos Culturais, identidade e política entre o moderno e o pós-moderno. Bauru: EDUSC.

Lopes, M. I. V. de (2004). Televisões, nações e narrações: para uma revisão das identidades culturais em tempos de

globalização. In: Revista USP, São Paulo, n.61, p. 30-39, março/maio.

______. (2005). Para uma revisão das identidades coletivas em tempo de globalização. In: Actas dos III

SOPCOM, IV LUSOCOM e II IBÉRICO, 2005, Covilhã: Actas... Covilhã: UBI.

Martín-Barbero, J. (1995) Secularizacion, desencanto y reencantamiento massmediatico. In: Dialogos de la comunicación, 41.

______.(2005). Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: UFRJ.

Mattelart, A.; Neveu, É.(2004). Introdução aos Estudos Culturais. Parábola Editorial, São Paulo.

Silva, T. T. (org.). 2010. O que é, afinal, Estudos Culturais? . Autentica, Belo Horizonte.

Wolton, D.(2006) Elogio do grande público: uma teoria crítica da televisão. São Paulo: Ática.

Woodward, K.(2000). Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. IN: Silva, T. T. da (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes.