Jornalismo de Dados e Mapping Art: Possíveis aproximações

Daniel Góis Rabêlo Marques, Karla Schuch Brunet

Resumo


O presente artigo tem como objetivo problematizar os
limites e aproximações entre o Jornalismo de Dados e a
Mapping Art, percebendo ambos enquanto produtos de
fenômeno digital emergente, o Big Data, e da crescente
presença de Bases de Dados na cultura contemporânea.
A partir de uma revisão bibliográfica o artigo retoma
os principais pensamentos referentes ao fenômeno Big
Data e das diferentes manifestações das bases de dados
na cultura, apresentando em seguida o Jornalismo de
Dados e a Mapping Art enquanto frutos desse cenário
informacional. Por fim, a partir de uma análise de dois
projetos dos campos supracitados, o artigo aponta para
os possíveis limites e aproximações entre as duas áreas,
o jornalismo e a arte, no contexto digital do Big Data.


Palavras-chave


cibercultura; big data; jornalismo de dados; mapping art

Texto Completo:

PDF

Referências


Barbosa, S. (2007). Jornalismo Digital em Base de Dados (JDBD)-Um paradigma para produtos jornalísticos digitais dinâmicos. Tese PósCOM. Disponível em: http://medcontent.metapress.com/index/A65RM03P4874243N.pdf

Fidalgo, A. (2004). Sintaxe e semântica das notícias online. Para um jornalismo assente em base de dados.

Informação e Comunicação Online. Jornalismo Online, 1–12. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/fidalgo-jornalismo-base-dados.html

Gray, J., Chambers, L., & Bounegru, L. (2012). The Data Journalism Handbook. Newton, O’Reilly Media.

Levy, P. (2010). Cibercultura. São Paulo, Editora 34.

Lima Junior, W. (2011). Jornalismo computacional em função da “Era do Big Data.” Revista Libero, 14(28), pp. 45-52.

Manovich, L. (2002). The Language of New Media. Cambridge, The MIT Press.

Manovich, L. (2013). Software Takes Command (International Texts in Critical Media Aesthetics). New York, Bloomsbury Academic.

Mayer-Schonberger, V., & Cukier, K. (2013). Big Data: A Revolution That Will Transform How We Live, Work, and Think. Eamon Dolan/Houghton Mifflin Harcourt.

Murray, J. H. (2003). Hamlet no holodeck o futuro da narrativa no ciberspaço. São Paulo, UNESP.

Ryan, M. (2004). Narrative across Media: The Languages of Storytelling (Frontiers of Narrative). Lincoln, University of Nebraska Press.

Santaella, L. (2003). Da cultura das mídias à cibercultura: o advento do pós-humano. Revista FAMECOS: mídia, cultura e …, 23–32. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/3229/2493

Simanowski, R. (2011). Digital Art and Meaning: Reading Kinetic Poetry, Text Machines, Mapping Art, and Interactive Installations (Electronic Mediations). Minneapolis, University Of Minnesota Press.

Vesna, V. (2007). Database Aesthetics: Art in the Age of Information Overflow (Electronic Mediations). Minneapolis, University Of Minnesota Press.