A educação musical na multideficiência: impacto no comportamento pessoal e social de uma comunidade em particular

Raquel Maia Resende

Resumo


O presente artigo reflete um estudo que investiga o impacto da música na melhoria da
qualidade de vida de uma população de adultos com deficiência mental, sensorial e motora, ao
nível dos seus comportamentos e capacidades de comunicação e expressão interpessoal. Sob a
premissa de que a educação é um direito social de todos os indivíduos, independentemente das
suas condições biológicas, económicas, sociais ou faixa etária, esta investigação procurou
fornecer oportunidades igualitárias e multifacetadas segundo os interesses e necessidades de
uma comunidade em particular, utilizando a música enquanto veículo eficaz nas trocas sociais
não-verbais e na promoção de bem-estar. Foi conduzida uma intervenção prática semanal durante
o ano letivo de 2014/2015, ao longo de 10 meses, junto de uma comunidade de adultos com
multideficiência. Após terem sido delineados os objetivos específicos e individuais, realizaram-se
dois períodos de experimentação, entre os quais se procedeu à aferição de ferramentas. Os
resultados das sessões musicais implementadas foram avaliados através de uma escala de
avaliação e de questionários. Provou-se que todos os objetivos foram concretizados e concluiu-se
que a música pode proporcionar melhorias significativas na qualidade de vida de uma população
com deficiência ou incapacidade.


Palavras-chave


música; comunidade; educação; multideficiência; comportamento pessoal e social

Texto Completo:

PDF

Referências


Bacelar, Susana (2013) Manual de Acolhimento do Colaborador. Ílhavo: CASCI.

Cross, Ian (2014) “Music and communication in music psychology”. Psychology of Music, 42(6): 809-819.

Gouveia, Rosa (2011) “A deficiência profunda: Perspetiva da pediatria do neurodesenvolvimento”. Revista Diversidades, 31: 4–8.

Higgins, Lee (2010) “Representação de prática: música na comunidade e pesquisa baseada nas artes”. Revista Da ABEM, 23: 7-14.

Krikeli, Vasiliki, Michailidis, Anastasios and Klavdianou, Niovi-Dionysia (2010) “Communication improvement through music: The case of children with developmental

disabilities”. International Journal of Special Education, 25(1): 1-9.

Levitin, Daniel J. (2007) Uma paixão humana: O seu cérebro e a música. Lisboa: Editorial Bizâncio.

Lira, Vanessa Silva (2010) “A musicoterapia vibroacústica no tratamento da síndrome de Rett”. Dissertação de pós-graduação, Faculdade Metropolitanas Unidas..

Moreno, Josefa Lacárcel (1999) “Fundamentos psicopedagógicos de la musicoterapia aplicada a niños y jóvenes con minusvalías físicas, psíquicas o con problemas de

conducta” in Pascual, J. L. et al., Música y Salud: Introducción a la Musicoterapia II. Espanha: Universidad Nacional de Educación a Distancia. (75-111)

Nunes, Clarisse and Amaral, Isabel (2008) “Educação, multideficiência e ensino regular: Um processo de mudança de atitude”. Revista Diversidades, 20(6): 4-9.

Paulos, Jorge Miguel Monteiro (2011) Contributos da música na inclusão de alunos com paralisia cerebral. Dissertação de Mestrado, Escola Superior de Educação Almeida

Garrett.

Robson, Colon (2002) Real World Research: A resource for social scientists and practitioner-researchers. Blackwell Publishing.

Rocha, Paula, Coelho, Regina, and Andrade, Sandra (2009) “Avaliação de alunos com multideficiência”.

http://multideficiencia.wikispaces.com/Avalia%C3%A7%C3%A3o+de+alunos+com+multidefici%C3%AAncia [consultado a 15/11/2014]

Sacks, Oliver (2008) Musicofilia. Lisboa: Relógio D’Água.

Schalock, Robert L.; Bonham, Gordon S. and Verdugo, Miguel A. (2008) “The conceptualization and measurement of quality of life: Implications for program planning

and evaluation in the field of intellectual disabilities”. Evaluation and Program Planning, 31(2): 181-190.

Sobol, Elise (2011) “Music learning in special education” in R. Colwell & P. R. Webster (Eds.), MENC Handbook of research on music learning, volume 2: Aplicações. Oxford:

Oxford University Press. (233-255).

Sousa, Talita Pereira de (2007) A musicoterapia como auxílio na comunicação de pessoas com deficiência mental. Monografia, Universidade Federal de Goiás.

Tabarro, Camila Sotilo et al. (2010). “Efeito da música no trabalho de parto e no recémnascido”. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 44(2): 445-452.

Wan, Catherine Y. et al. (2010) “From music making to speaking: Engaging the mirror neuron system in autism”. Brain Res Bull, 82: 161-168.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.