Granitóides das áreas de Fornos de Algodres e de Castro Daire: uma comparação e alguns problemas

M. Serrano Pinto, Maria do Rosário Azevedo, J. Renato Araújo, L. Severo Gonçalves

Resumo


Faz-se uma comparação entre as cinco unidades de maior representação cartográfica do plutão zonado de Castro Daire com cinco unidades de granitóides da área de Fornos de Algodres, tendo sido seleccionados, em cada área, quatro granitos de granularidade variável e um granodiorito com anfíbola.Para além das diferenças de expressão cartográfica das unidades numa e outra área, estas revelam semelhanças e diferenças sob os aspectos petrográfico, químico (em termos de elementos principais e de Rb e Sr), geocronológico e isotópico (Sr).Colocam-se questões para certos granitos das áreas relativamente à origem dos seus megacristais de feldspato portássico, bem como da moscovitização e albitização que apresentam, não sendo claro que em todos eles tais efeitos estejam ligados à intrusão de granitos mais jovens que naqueles os indizissem.A maioria dos granitos de ambas as áreas apresenta características do tipo-S, enquanto que os granodioritos com anfíbola apresentam características de granitóides do tipo - I cujos materiais originários tivessem sofrido contaminação com material de derivação crustal.

Texto Completo:

PDF