Caim (José Saramago) e a paródia que (re)valoriza

Antonio Augusto Nery

Resumo


A paródia é um dos muitos recursos utilizados por José Saramago no desenvolvimento de diversas ficções, especialmente aquelas nas quais houve interesse de retomar fatos históricos ou acontecimentos que tradicionalmente
foram lidos e difundidos a partir de um único prisma, sem muitos debates ou problematizações.
Isso se aplica também à recuperação de figuras esquecidas, marginalizadas ou subentendidas por determinados discursos hegemônicos que, por intermédio do discurso parodístico, surgem reinterpretadas e ressignificadas nas produções do autor. No entanto, quando pensamos especificamente na recuperação de certas personagens presentes na ficção saramaguiana, notamos que o autor desenvolveu a recuperação apostando sobretudo na face transgressora da paródia, preocupando-se pouco com a manutenção de referências. Bons exemplos dessa constatação podem ser percebidos na obra Caim (2009), para a qual volvo minha atenção neste trabalho, buscando averiguar pontualmente a construção de algumas personagens
femininas.

Palavras-chave


José Saramago; Caim; paródia; revalorização; personagens femininas; bíblia

Texto Completo:

PDF