Pedro e Paula de Helder Macedo: fraternidade impossível?

Ana Margarida Fonseca

Resumo


O romance de Helder Macedo Pedro e Paula desenvolve-se, como o título indica, em torno da história de dois irmãos gémeos, por um período histórico que abarca as últimas décadas de colonialismo e os primeiros
tempos de vivência em democracia. A ligação fraternal apresenta-se conturbada, pelo facto de terem opções ideológicas e percursos de vida muito distintos: Paula segue o caminho da liberdade e da adesão aos princípios revolucionários, enquanto Pedro se acomoda a uma existência burguesa. O desejo de posse de Pedro sobre a irmã subverte de forma decisiva a relação dos irmãos, conduzindo a uma tensão crescente que culminará na brutal violação sofrida por Paula. Nesta história de “gémeos antagónicos”, o autor procura associar a representação de dimensões individuais e coletivas, afirmando o poder libertador de uma identidade que se faz da aceitação da diferença e da ultrapassagem das dualidades.

Palavras-chave


Helder Macedo; pós-colonialismo; literatura portuguesa; relação fraternal; identidade

Texto Completo:

PDF