A magnitude e relevância das imparidades em contas a receber nas empresas da Euronext Lisbon

Daniela Neves, Carla Carvalho

Resumo


O presente estudo tem como principais objetivos analisar a evolução da magnitude e relevância das perdas por imparidade em contas a receber nas empresas da Euronext Lisbon, atendendo à recente crise financeira que assolou o nosso país.
O estudo segue uma abordagem longitudinal, assentando na recolha direta e análise de conteúdo dos relatórios e contas consolidados das empresas com valores cotados na Euronext Lisbon, no período de 2005 a 2014.
Do estudo empírico realizado, concluímos que as imparidades em dívidas a receber têm uma maior magnitude e relevância nas demonstrações financeiras nos períodos de crise, e que são as empresas de menor dimensão as que reconhecem mais imparidades. Encontramos, ainda, indícios da prática de big bath, porquanto foi nos anos de pior desempenho financeiro que o reconhecimento das perdas por imparidade em dívidas a receber mais afetou negativamente os resultados das empresas da amostra.


Palavras-chave


Imparidades; contas a receber; IAS/IFRS; Euronext Lisbon; crise financeira

Texto Completo:

PDF

Referências


Albuquerque, F., Almeida, M., & Quirós, J. (2011). Imparidade de ativos no âmbito da NCRF 12. Revista da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas. ISSN, 1645-9237.

Aníbal, S. (2015). Crescimento anual volta a ser positivo, mas os sinais de aceleração não aparecem. PÚBLICO. Retrieved October 14, 2016, from https://www.publico.pt/2015/02/13/economia/noticia/economia-portuguesa-nao-acelera-mas-confirma-crescimento-de-09-em-2014-1686009.

Baralexis, S. (2004). Creative accounting in small advancing countries. Managerial Auditing Journal, 19(3), 440–461.

Basu, S. (1997). The conservatism principle and the asymmetric timeliness of earnings. Journal of Accounting and Economics, 24(1), 3–37.

Burgstahler, D. C., Hail, L., & Leuz, C. (2006). The Importance of Reporting Incentives: Earnings Management in European Private and Public Firms. The Accounting Review, 81(5), 983–1016.

Carvalho, C., Rodrigues, A. M., & Ferreira, C. (2013). A relevância das perdas por imparidade do goodwill nos oito anos de aplicação das IAS/IFRS em Portugal. XIV Congresso Internacional de Contabilidade e Auditoria, Lisboa.

Castro, E. N. (2012). A Manipulação de Resultados em Portugal através do Goodwill. Dissertação de Mestrado. Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto.

Elliott, J. A., & Shaw, W. H. (1988). Write-Offs As Accounting Procedures to Manage Perceptions. Journal of Accounting Research, 26, 91-119.

Hayn, C., & Hughes, P. J. (2006). Leading Indicators of Goodwill Impairment. Journal of Accounting, Auditing & Finance, 21(3), 223–265.

Healy, P. e Wahlen, J. (1999). A Review of the Earnings Management Literature and Its Implications for Standard Setting. Accounting Horizons, 13(4): 365-383.

Jackson, S. B., & Liu, X. (2010). The Allowance for Uncollectible Accounts, Conservatism, and Earnings Management. Journal of Accounting Research, 48(3), 565–601.

Jordan, C. E., & Clark, S. J. (2004). Big Bath Earnings Management: The Case Of Goodwill Impairment Under SFAS No. 142. Journal of Applied Business Research, 20(2), 63–70.

LaMonte, M., Enman, W., Smyth, W., Robertson, D., & Cuomo, J. M. (2008). How the Global Credit and Economic Crises are Affecting Accounting and Financial Reporting Issues: An Overview of Key Implications from a Credit Perspective. Moody's Global Credit Research.

Laskaridou, E. C., Athanasios, V., & Stergios, A. (2014). Detecting Asset Impairment Earnings Management on IFRS Context: Some Evidence from Greek Listed Companies. American Journal of Applied Sciences, 11(6), 963–968.

Lourtie, P. (2011). Portugal no contexto da crise do euro. Relações Internacionais, 32, 061–105.

Moreira, J. A. C. (2006). Manipulação para evitar perdas: o impacto do conservantismo. Working Paper. Faculdade de Economia, Universidade do Porto.

Regulamento (CE) n.º 1126/2008 da Comissão de 3 de novembro de 2008 (versão consolidada a 20 de novembro de 2013).

Schipper, K. (1989). Commentary on Earnings Management. Accounting Horizons, 3: 91-102.

Spear, N. A., & Taylor, A. M. (2011). Asset Write-downs: Evidence from 2001-2008. Australian Accounting Review, 21(1), 14-21.

Zucca, L. J., & Campbell, D. R. (1992). A Closer Look at Discretionary Writedowns of Impaired Assets. Accounting Horizons, 6(3), 30-41.




DOI: http://dx.doi.org/10.1234/ei.v0i16.7581



ISSN: 1646-4850 | © 1981-2010 ISCA-UA