A importância do design(er) de identidade nas organizações

Ana Luz, Álvaro Sousa

Resumo


O artigo que aqui se apresenta, pretende ser uma reflexão sobre o papel que o
designer e a comunicação podem desempenhar atualmente nas organizações.
A importância do designer, enquanto agente de criação de valor aplicado à estratégia
e comunicação das organizações, nem sempre é tida em conta, sendo muitas
vezes considerado como um profissional que apenas resolve problemas estéticos
e dá resposta a desafios pouco exigentes, pontuais e isolados. Atendendo a tudo
isto,pretende-senesteartigoabordarereforçarconceitosqueabrangemasáreasdodesign,
da comunicação e da gestão, sendo efetuadas considerações acerca da
importância e relação entre estas, a identidade, a estratégia e as organizações.
Por forma a dar sentido a tudo isso, o presente estudo terá como base de
sustentação uma intervenção prática efetuada numa unidade de investigação,
INET-MD – Instituto de Etnomusicologia - Centro de Estudos em Música e
Dança, tendo como objetivo observar, recolher e analisar a instituição de forma
a reunir condições para projetar e gerir a diversidade da sua identidade. Procura-
se assim que a Unidade atinja, através do desenho, uma identidade coerente
com o discurso visual que lhe está associado e seja capaz de acrescentar valor
e contribuir para a sua afirmação e reconhecimento.


Palavras-chave


design; identidade; estratégia; organizações

Texto Completo:

PDF

Referências


ALBERT, S. (1998). The definition and metadefinition of identity. Identity in Organizations, building theory through conversation, pp. 1–17. Thousand Oaks: Sage: D.A.Whetten e P.C.Godfrey (eds.).

BORJA DE MOZOTA, B., KLOPSCH, C., & COSTA, F. C. X. DA. (2011). Gestão do Design: usando o Design para construir valor de marca e inovação corporativa. Porto Alegre: Bookman.

BRANCO, J. (2003). Estratégias empresariais de imigrantes em portugal. Caleidoscópio : Revista de Comunicação e Cultura, no7 (2006). Edições Universitárias Lusófonas.

CHAVES, N. (1988). La imagen corporativa. Teoria y metodologia de la identificación institucional. Barcelona: Editorial Gustavo Gili S.A.

CHAVES, N., & BELLUCCIA, R. (2008). La Marca Corporativa. Gestión y diseño de símbolos y logotipos. Journal of Chemical Information and Modeling (Vol. 53). Buenos Aires: Piadós. http://doi.org/10.1017/CBO9781107415324.004

CONSOLO, C. (2015). Marcas. Design Estratégico, do símbolo à gestão da identidade corporativa.

COSTA, J. (2004). La Imagen de Marca: un fenómeno social. Barcelona: Paidós.

COSTA, J. (2006). Imagen Corporativa en el siglo XXI. Buenos Aires: La Crujía.

COSTA, J. (2011). Design para os olhos: marca, cor, identidade e sinalética. Lisboa: Dinalivro.

GIOIA, D. (1998). From individual to organizational identity. Identity in Organizations, building theory through conversation, D.A.Whetten e P.C.Godfrey. Thousand Oaks: Sage.

KERCKHOVE, D. (1997). A Pele da Cultura. Lisboa: Relógio D’Água.

LACERDA, A. (2009). Os novos desafios da identidade visual e imagem institucional das universidades. Congresso e-design. Visões para o ensino na europa nos novos contextos ambientais e económicos.

LACERDA, A. (2011). Design e gestão da identidade, marcas gráficas e imagem institucional Universidade Técnica de Lisboa.

LENCASTRE, P. (2005). O livro da marca. Lisboa: Dom Quixote.

LOPES, M. C. O. (2004). Design de Comunicação Institucional. Animus: revista interamericana de comunicação midiática.

LOPES, M. C. O. (2009). Concurso para Professor Associado em Ciências e Tecnologias da Comunicação, Relatório da Unidade Curricular de Comunicação Institucional. Aveiro.

MARGOLIN, V. (2014). Design e Risco de Mudança. Vila do Conde: Verso da História; ESAD Escola Superior de Artes e Design.

OLINS, W. (1995). Imagem Corporativa Internacional. Barcelona: Editorial Gustavo Gili S.A.

OLINS, W. (2003). A marca. Lisboa: Editorial Verbo.

PROVIDÊNCIA, F. (2008). Manual de Design (para industriais da fileira Casa). Lisboa: CPD/IAPMEI.

RAPOSO, D. (2008). Design de Identidade e Imagem Corporativa. Branding, história da marca, gestão da marca, identidade visual corporativa. Castelo Branco: Edições IPCB.

RAPOSO, D. (2010). A marca como ideal de vida. Brasil: Design Gráfico - Comunidade Brasileira de Design.

RUÃO, T. (2001). O conceito de identidade organizacional: teorias, gestão e valor. Comunicação apresentada ao II Congresso da SOPCOM – Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.

RUÃO, T. (2005). O papel da identidade e da imagem na gestão das universidades. IV Congresso da SOPCOM: Universidade de Aveiro.

RUÃO, T. (2008). A comunicação organizacional e os fenómenos de identidade. A aventura comunicativa da formação da universidade do Minho, 1974-2006. Tese de Doutoramento em Ciências da Comunicação Teorias da Comunicação e da Informação. Universidade do Minho.

SOUSA, Á. (2015). Projeto de Branding para uma Unidade de Investigação: o caso INET-MD. Salvador, Brasil.

SOUSA, Á. (2011). Marcas portuguesas: Uma metodologia para a afirmação e avaliação dos seus impactos, Tese de Doutoramento em Design do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro.

WALSH, V., ROY, R., BRUCE, M., & POTTER, S. (1992). Winning by Design. Oxford: Basil Blackwell.