Um levantamento bibliográfico sobre o contexto histórico da macroergonomia

Maycon Gustavo Costa Anjos, Thayanne Cristine Diniz Pontes, Claudia Nayanne Gaspar Sousa

Resumo


O presente artigo tem como objetivo apresentar os princípios e diretrizes da macroergonomia a partir de uma revisão da literatura. Sendo a macroergonomia ou ‘organização global um nível de máquina/sistema', que se concentra no desenvolvimento e na aplicação da organização da tecnologia máquina/"interface". Desta forma a macroergonomia é considerada o modo como as organizações são projetadas e gerenciadas no que se refere a tecnologias. Também relaciona-se com quatro níveis de análises: individual, design do trabalho/estação de trabalho, organizacional e ambiental. 


Palavras-chave


macroergonomia; organização; princípios e diretrizes

Texto Completo:

PDF

Referências


BARRETO, M. (1997). Criatividade no trabalho e na vida. SP: summus.

BAUMANN, R. PLATENNER, C. Honeypot – Diploma Thesis Computer Science, Acessado em 20 de Maio de 2015.

BROWN, Jr. (1990). Markenting participatory ergonomics. Current trends and methods to enhance organizational effectiveness ergonomics.

BROWN Jr. (1995) The development and domain of participatory ergonomics. In: IEA world conference, lantin america congres, Rio de Janeiro: ABERGO.

BOARD, C. (1978). Map Reading Tasks Appropriate in Experimental Studies in Cartographic Communication. The Canadian Cartographic.

BUFFA, E. S. e TAUBERT, W. H. (1972). Production-Inventory Systems: Planning and Control. London: Irwin-Dorsey International.

CARAYON, P. (2000). Macroergonomics in Quality of Care and Patient Safety. In: Internacional symposium on human factors in organizational design and management, Aachen - Alemanha.

FIALHO, F. A. P. (1996). A ergonomia do século XXI. In: International congress on graphics engineering for arts and technical drawing, Florianopolis, 1996.

FISHER, D Guimaraes, L.B.M. (2001). Efeitos positivos da ergonomia participativa estudo de caso ABB. Anais da ABERGO. Gramado – RS, 2001.

FOGLIATTO,F.S.,e GUIMARÃES,LIA B. de M. (1999). Design Macroergonomia para projeto de produto. Produto da Produção, Porto Alegre, v.3, n.3, 1999.

GUIMARÃES, L. B. de M. (1999). Ergonomia de Processo 1. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção. 2 ed. Porto Alegre- RS. GUIMARAES, L.B de M e COTELLA, M. F. (2002). Segurança no trabalho: acidentes, cargas e custos humanos. in: GUIMARÃES, L. B. de M. “Ergonomia do processo 1” Livro texto.Porto Alegre,

RS: PPGEP/UFRGS.

HAGBERG, M. et al. (1995). Work related musculoskeletal disorders (WMSDs): A reference book for prevention. London: Taylor & Francis.

HENDRICK, H. (1991). Adaptation, development and application of tools and methods for macroergonomic eldresearch. Designing for Everyone. Proceeding of the Eleventh Congress of the International Ergonomics Association, Paris, London.

HENDRICK, H. W. (1993). Macroergonomics: a new approach for improving productivity, safety, and quality of work life. Palestra realizada na COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro.

IEA. International ergonomics organization. The discipline of ergonomics. Disponível em http://www. iea.cc/ergonomics. Acessado em 20/05/2015

IMADA, A. (1987). The rationale and tools of Participatory Ergonomics. Partycipatory Ergonomics, Taylor and Francis, Londres.

INGELGARD, A; NORRGREN, F. (2001). Effects of change strategy and top-management involvement on quality of working life and economic results. International Journal of Industrial Ergonomics, Elsevier Science B.

KASPER, H. (2000). O processo de pensamento sistêmico: um estudo das principais abordagens a partir de um quadro de referência proposto. UFRGS. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

KRUG, S. R. (2000). Aplicação do método de Design Macroergonômico no projeto de postos de trabalho: estudo de caso de posto de pré-calibração de medidores de energia monofásicos. Dissertação (Mestrado) – Pós Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Disponível em: . Acesso em: 22/05/2015.

LEWIN, K. (1952). Group decision and social change. En G. E. SWANSON, T.N. NEWCOMB y E. L. HARTLEY (Eds.): Reading in social psychology. New York: Holt, 1952.

MEDEIROS, E. (2005). Macroergonomia. Apostila do curso de especialização Superior em Ergonomia. Rio de Janeiro: CESERG.

MORAES, A. de; MONT’ALVÃO, C. (2003). Ergonomia: conceitos e aplicações. 3ed. rev. atual. ampl. Rio de Janeiro, 2ab.

NAGAMACHI.M. (1988). Image technology based on knowledge engineering and its application to design consultation. In: A.S.Adams,R.R. Hall B.J.Mc Phee and. M.S Oxenburgh, Editors Procedings of the 40th. Congress of International Ergonomics Association.

NAGAMACHI, M. IMADA, A.S. (1992). Macroergonomic Approach for Improving Safety and Work Design. Proceeding of the Human Factors Society 36th Annual Meeteing.

NAGAMACHI, M. (1995). Requisites and Practices of Participatory Ergonomics. International Journal of Industrial Ergonomics.

PORTICH, P. (2001). Análise Integrada da Carga Física de Trabalho para a Prevenção da Fadiga. Dissertação (Mestrado em Ergonomia) – Setor de Engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

SOUZA, V. F; QUELHAS, O. L. G. (2002). Uma contribuição da macroergonomia na gestão de processos. In: Congresso latino americano de ergonomia, Recife: Abergo, 2002.

VAN DER LINDEN, J. C. S. (1999). Identificação dos itens de demanda ergonômica em escritório informatizado. Dissertação (Mestrado). Pós Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Disponível em: . Acesso em: 25/05/2015.

VIDAL, M.C. Ergonomia: Uma questão de organização. Disponível em: >HTTP: www.nutrinews.com. br> acesso em 22/05/2015.

VIDAL, M. (2002). Ergonomia na Empresa: Útil, Prática e Aplicada. Rio de Janeiro: ECV.

ZERBETTO, C.A.A; TAVARES, C.T; REGIOLI. F.R; ANDRADE, F.A; COSTA. M.A. (2004). Análise macroergonômica no setor de produção em metal em uma oficina joalheira. In: congresso internacional de ergonomia e usabilidade de interfaces humana-tecnologia: produtos. acesso em 20/05/2015.