Anotações no contexto da comunicação científica: análise de uma linguagem para a transmissão e produção do conhecimento

Sandra Cruz, Francisco Providência, Vasco Branco

Resumo


A comunicação do conhecimento científico é fundamental para o progresso da ciência. A ciência é, nesse sentido, um produto conectivo universal. Com o aparecimento da internet e do formato digital, surgiram novos meios técnicos de comunicação à disposição da comunidade científica, passíveis de incrementar a leitura, interpretação, citação e distribuição de ideias a partir das edições científicas.
Como hipótese de estudo, recorremos à dupla sintaxe (analógico + digital) da revista científica através da associação das qualidades de um formato às vantagens do outro, introduzindo as anotações enquanto sistema de leitura crítica aumentada (classificação, remissão, comparação, síntese, ilustração, confrontação e divulgação), assim julgando contribuir para a transmissão e produção do conhecimento científico, introduzindo a possibilidade de partilha dessas anotações enquanto proto-interpretações do texto. Neste artigo apresentam-se os resultados de uma análise sistemática para o estudo das anotações no contexto da comunicação da ciência, enquanto sistema ergonómico cognitivo instrumental para a compreensão e produção do discurso científico. 


Palavras-chave


design; anotações; interação; comunicação da ciência

Texto Completo:

PDF

Referências


BÉLANGER, M.-E. (2010). Annotations and the Digital Humanities Research Cycle: Implications for Personal Information Management.

BLUSTEIN, J.; ROWE, D.; GRAFF, A.-B. (2011). Making Sense in the Margins: A Field Study of Annotation. In Research and Advanced Technology for Digital Libraries (Vol. 6966, pp. 252–259). Berlin, Heidelberg: Springer Berlin Heidelberg. doi:10.1007/978-3-642-24469-8_27

BRUST, M. R.; ROTHKUGEL, S. (2007). On Anomalies in Annotation Systems. Presented at the The Third Advanced International Conference on Telecommunications (AICT’07), IEEE. doi:10.1109/ aict.2007.33

CARRADA, G. (2006). A scientist’s survival kit: communicating science. Luxembourg: Office for Official Publications of the European Communities. doi:10.1007/3-540-31920-4

EDEN, S.; ESHET-ALKALAI, Y. (2012). Print versus digital: The effect of format on performance in editing text. In Proceedings of the Chais Conference on Instructional Technologies Research.

FIOLHAIS, C.; BUESCU, H. (2015, January). Havíamos de falar de conhecimento. In CAMARNEIRO, N. (moderador) Ciclo de Conversas “Havíamos de falar disso” no Teatro Aveirense (Aveiro). disponível em http://www.ciceco.ua.pt/index.php?menu=352&tabela=geral&language=pt

FREIXO, M. J. V. (2006). Teorias e modelos de comunicação. Lisboa: Instituto Piaget.

FURTADO, J. A. (2012). Uma cultura de informação para o universo digital. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos.

GOMES, C. M. (2013). Comunicação Científica: Alicerces, Transformações e Tendências. (L. LabCom). Covilhã: Covilhã/UBI, Livros LabCom. Retrieved from http://www.livroslabcom.ubi.pt/ pdfs/20131206-201309_cristinamgomes_comunicacaocientifica.pdf

GRECO, A.; WHARTON, R.; ESTELAMI, H.; JONES, R. (2006). The State of Scholarly Journal Publishing: 1981-2000. In Journal of Scholarly Publishing, 37(3), 155–214. doi:10.3138/jsp.37.3.155 JACKSON, H. J. (2002). Marginalia: Readers Writing in Books. Yale University Press.

MARSHALL, C. C. (1998). Toward an ecology of hypertext annotation (pp. 40–49). Presented at the the ninth ACM conference, New York, New York, USA: ACM Press. doi:10.1145/276627.276632

MASSARANI, L.; MOREIRA, I. C. (2005). A retórica e a ciência: dos artigos originais à divulgação científica. Revista MultiCiência: A linguagem da ciência.

PONTIS, S. (2014, June 24). Making research more accesible. In Mapping Complex Information Theory Practice. Retrieved September 22, 2015, from https://sheilapontis.wordpress.com/2014/06/24/ making-research-more-accesible/

PONTIS, S.; KEFALIDOU, G.; BLANDFORD, A.; FORTH, J.; MAKRI, S.; SHARPLES, S.; et al. (2015). Academics’ responses to encountered information: Context matters. In Journal of the Association for Information Science and Technology. doi:10.1002/asi.23502

WURMAN, R. S. (2001). Information Anxiety 2 (2nd ed.). Indianapolis