Pedalar desde criança: contributos do Design para a identidade de Aveiro

Joana Ivónia Santos, Cláudia Albino

Resumo


A investigação em curso, tem como propósito compreender o papel do design na gestão e comunicação estratégica de projectos em sistemas de co-criação, com o objectivo de construir um modelo facilitador de processos exponenciadores de produtos-serviços do ecossistema da bicicleta na região de Aveiro. Ambiciona-se reforçar o carácter identitário da bicicleta neste território, uma vez que as deslocações de bicicleta até meados do século XX incorporavam os hábitos das famílias da região mas, esta realidade alterou-se à medida que o automóvel foi ocupando o espaço da cidade.

Sabendo que as identidades são processos em constante mutação, contemplando habitus, considera-se que a construção de um sentido de pertença ao território de Aveiro, de novo, pela bicicleta, implica introduzir a bicicleta pela educação desde a primeira infância.

Nesta perspectiva, apresentamos um conjunto de projectos que desenhámos, em conformidade com os objectivos do Horizonte 2020, esperando criar experiências integradoras da bicicleta nos habitus da comunidade. A experiência é aqui entendida como o “resultado dos fenómenos habituais, colectiva e individualmente experienciados, armazenados na memória” (Rodrigues, 1999:10). 


Palavras-chave


design colaborativo e participado; sustentabilidade do território; bicicleta; identidade de Aveiro

Texto Completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, J. (2000). Culturas: a construção das identidades. Porto: Universidade do Porto. Faculdade de Letras.

Ciclando. (2012). Plano Nacional da Promoção da Bicicleta e Outros Modos de Transporte Suaves. Disponível em www.imtt.pt - acedido a 10 de Maio 2015.

Ciclaveiro. (2015). Disponível em http://ciclaveiro.pt - acedido a 30 de Setembro de 2015.

CI Região de Aveiro. (2015). Disponível em http://www.regiaodeaveiro.pt/PageGen.aspx?WMCM_PaginaId=27800 - acedido a 9 de Outubro de 2015

(2015). CYCLE Kids | Moving children towards healthy futures!. Disponível em http://www.cyclekids. org/program - acedido a 24 de Setembro de 2015.

FRASCARA, J. (2003). Design and the Social Sciences: Making Connections. CRC Press.

FLORIDA, R. (2004). The rise of the creative class. New York, Basic Books.

FUAD-LUKE, A. (2009). Design Activism: Beautiful Strangeness for a Sustainable World. 1o ed. Earthscan, Londres.

FUAD-LUKE, A.; ANJA-LISA, H.; & KATHARINA, M. (2015). Agents of Alternatives Re-designing Our Realities. Agents of Alternatives, 1o edição, Berlin.

Horizon 2020 - European Commission. (2015). disponível em https://ec.europa.eu/programmes/horizon2020/ - acedido a 10 de Maio de 2015.

KRUCKEN, L. (2009). Design e território - Valorização de identidades e produtos locais. 1–20. Studio Nobel.

LANDRY, B. C. (2000). Lineages of the Creative City. Reflect (Creativity and the City: How the Creative Economy Is Changing the City). 42–55.

MANZINI, E.; & MILANO, P. (2001). Scenarios of sustainable ways of living Local and global visions: first results of an international program of design workshops 1. Ideas of wellbeing and scenario building : a social role for designers, 1–13.

MARGOLIN, V. (2014). Design e Risco de Mudança, 31-34. Senhora da Hora, ed. ESAD

Memória cultural: o vínculo entre passado, presente e futuro — IEA. (2015), disponível em http://www. iea.usp.br/noticias/memoria-cultural - acedido a 30 de Setembro de 2015.

MERONI, A. (2008). Strategic design: where are we now? Reflection around the foundations of a recent discipline. Strategic Design Research Journal, 1(1), 31–38. doi:10.4013/sdrj.20081.05

MORAES, D. (2010). Metaprojecto, o design do design. São Paulo, ed. Blucher.

Notícias, Jornal de. (2013, Março 26). Aveiro é líder nas bicicletas com 15 mil utilizadores/dia. PASTORI, D., et al. (2009). Strategic management process design e o pensamento sistêmico: a emergência de novas metodologias de design. In: Strategic Design Research Journal, Vol.2:11-23 janeiro-junho 2009. Unisinos.

PEREIRA, P. (2015). Programa ECO.Mob entra hoje em vigor no Estado. disponível em http://www. transportesemrevista.com/Default.aspx?tabid=210&language=pt-PT&id=47473 - acedido a 3 de Agosto de 2015.

Plataforma Tecnológica da Bicicleta e Mobilidade Suave › contexto. (2015) disponível em http://www. ua.pt/ptbicicleta/PageText.aspx?id=18703 - acedido a 24 de Fevereiro 2015,

RODRIGUES, A. (1999). Comunicação e Cultura. A experiência cultural na era da informação. Lisboa, ed. Editorial Presença.

SANDERS, E. B. (2000). Generative Tools for Co-Designing - Sanders.pdf. Collaborative Design, 3–12. doi:10.1007/978-1-4471-0779-8_1

SANDERS, E. B.-N. (2002). From user-centered to participatory design aproaches. In Design and the Social Sciences: Making Connections,1–9. doi:10.1201/9780203301302.ch1

SIC Notícias - País. (2013), disponível em http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2013-06-16-alunos-de-escola-da-gafanha-da-nazare-fazem-da-bicicleta-o-meio-de-transporte-preferido - acedido a 30 de Setembro de 2015.

TSCHIMMEL, K. (2012). Design Thinking as an effective Toolkit for Innovation. of the XXIII ISPIM Conference: Action for Innovation, disponível em http://www.ispim.org/abstracts/The Proceedings of The XXIII ISPIM Conference 2012 Barcelona, Spain - 17-20 June 2012/tschimmel_katja.html, acedido a 8 de Outubro de 2015

VEZZOLI, C., & MANZINI, E. (2008). Design for Environmental Sustainability. (Spinger, Ed.). doi:10.1007/978-1-84800-163-3

Transition Network. (2015), disponível em https://www.transitionnetwork.org/- acedido a 8 de Outubro de 2015.

Vivam as bicicletas na Gafanha da Nazaré! (2015), disponível em https://ciclaveiro.wordpress. com/2015/07/12/vivam-as-bicicletas-na-gafanha-da-nazare/ - acedido a 24 de Setembro de 2015.