Projeto de cadeira para exames radiológicos em deficientes físicos

Carlos Henrique Paini, Ana Cristina Maurício Ferreira, João Alberto Borges Araújo, Luis Carlos Paschoarelli

Resumo


A radiografia geral é um importante método de diagnóstico de imagem do corpo humano. Quando este método é aplicado em deficientes físicos, particularmente usuários de cadeira de rodas, pode surgir o inconveniente do mesmo (além do técnico de radiologia e acompanhantes do paciente) ser exposto à radiação por mais tempo que o necessário, devido à dificuldade de seu posicionamento em relação ao feixe de Raios-X. Desta forma, objetivou-se solucionar este problema propondo um projeto de cadeira, que possibilite ao paciente a realização em posição sentada de exames que, a princípio devem ser realizados em posição ortostática. Para desenvolver o projeto, as etapas metodológicas realizadas foram pesquisa documental, determinação do problema, levantamento dos equipamentos utilizados em radiologia, elaboração de requisitos para o novo equipamento e escolha de materiais para aplicação no projeto, em atendimento aos requisitos. O resultado é o projeto de uma cadeira que utiliza o aço inox em sua estrutura e fibra de carbono em seus componentes. Contará com suporte para acomodação da grade antidifusora e o chassi de raios-X, suporte extensivo para as pernas e encosto reclinável com travas de regulagem do ângulo de inclinação, permitindo assim, a realização de exames em diversas posições. Sua utilização poderá facilitar a realização do exame, tornando-o mais prático e funcional, aumentando a autonomia e proteção física do paciente e também garantindo a proteção física dos funcionários do setor e dos acompanhantes do paciente. 


Palavras-chave


deficientes físicos; radiologia; radiografia; raios-X

Texto Completo:

PDF

Referências


ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. (2004). Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. NBR 9050/2004. Rio de Janeiro.

ANVISA – AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. (1998). Diretrizes de proteção radiológica em radiodiagnóstico médico e odontológico. Portaria Federal 453. Brasília.

BONSIEPE, G. (1984). Metodologia Experimental: Desenho Industrial. Brasília: CNPq/Coordenação Editorial.

BUSHONG, S. C. (2008). Ciência radiológica para tecnólogos: física, biologia e proteção. 9. ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

CANEVARO, L. (2009). Aspectos físicos e técnicos da Radiologia Intervencionista. Revista Brasileira de Física Médica. 3 (1): 101-15. Rio de Janeiro.

CASTRO, S. S.; LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE, A. M. C.; CESAR, C. L. G. (2011). Acessibilidade aos serviços de saúde por pessoas com deficiência. Rev. Saúde Pública. 45 (1): 99-105. São Paulo.

CHASSOT, A. (1995). Raios-X e radioatividade. Química nova na escola. São Paulo, v. 2, 13 jun..

Chen, M. Y. M.; Pope, T. L. & Ott, D. J. (2011). Radiologia Básica. 2. ed. Porto Alegre: Amgh1.

DIMENSTEIN, R. & HORNOS, Y. M. M. (2004). Manual de proteção radiológica aplicada ao radiognóstico. 2. ed. São Paulo: Apontamentos.

DIMENSTEIN, R.; NETTO, T. G. (2002). Bases físicas e tecnológicas aplicadas aos raios-X. São Paulo: Senac São Paulo.

EUFRÁSIO, S.; et al. (2013). Riscos de exposição à radiação ionizante durante procedimentos endovasculares. Angiol Cir Vasc. 09: 84-89.

FIGUEIREDO, N.M.A. (2007). Método e metodologia na pesquisa científica. 2a ed. São Caetano do Sul, São Paulo, Yendis Editora.

FOGAÇA, J. R. V. (2012). O raio atômico: o tamanho do átomo. Disponível em: . Acesso em: 31 mai. 2015.

FURQUIM, T. A. C.; COSTA, P. R. (2009). Garantia de qualidade em radiologia diagnóstica. Revista Brasileira de Física Médica. 3 (1): 91-99.

KASSADA, D. S.; LOPES, F. L. P. & KASSADA, D. A. (2011). Ergonomia: atividades que comprometem a saúde do trabalhador. VII Encontro Internacional de Produção Científica. Foz do Iguaçu.

GOLDANI, E. & DE BONI, L. A. B. (2007). Introdução Clássica à Química Geral: grupo tchê química. Ed. Porto Alegre: Tchê Química Cons. Educ. LTDA.

IIDA, I. (2005). Ergonomia: projeto e produção. São Paulo: Edgard Blücher Ltda.

LIMA, R. DA S.; AFONSO, J. C. (2008). Raios-X: fascinação, medo e ciência. Química nova. Rio de Janeiro, v. 32, n. 1, 10 dez. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2015.

OLIVEIRA, L. S. T. (2013). Conceitos de Incidências Radiológicas. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2015.

PAHL, G.; BEITZ, W.; FELDHUSEN, J. & GROTE, K. (2005). Projeto na engenharia: fundamentos do desenvolvimento eficaz de produtos, métodos e aplicações. Trad. Werner, H. A., 6a ed. São Paulo: Editora Edgar Blücher.

PEREIRA, R. (n.d.). Equipamentos radiológicos. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2015.

POLETTO, A. R.; VILAGRA, J. M.; ESTEVES, A. C.; GONTIJO, L. A.; SILVESTRE, M. V. (2007). Riscos ocupacionais no posto de trabalho do técnico de radiologia de um hospital federal. XXVII Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Foz do Iguaçu.

PUPO, D. T.; MELO, A. M. & FERRÉS, S. P. (2006). Acessibilidade: discurso e prática no cotidiano das bibliotecas. Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

RIBEIRO, R. (2002). Materiais polímeros e compósitos: relatório. Universidade do Porto, Porto.

ROMEIRO FILHO, E. et al. (2010). Projeto do Produto. Rio de Janeiro: Editora Campus Elsevier. SANTOS, M. R. P. (n.d.). Exames radiográficos de tórax: abordagem, incidências e posicionamentos do usuário. Disponível em: http://rle.dainf.ct.utfpr.edu.br/hipermidia/images/documentos/Exames_radiograficos_do_torax.pdf. Acesso em: 01 set 2015.

SERNAGLIA, M. B. (2009). Avaliação do autoconceito em cadeirantes praticantes de esporte adaptado. 2009. 73 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

VAL, F. L. DO. (2006). Manual de técnica radiográfica. Barueri: Manole.

VELUDO, P. C. (2011). Efeitos da radiação X e níveis de exposição em exames imagiológicos: inquéritos a clínicos gerais. 2011. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Faculdade de Medicina, Universidade de Coimbra, Coimbra.