Mapa Ambulatorial de Pressão Arterial (MAPA): design para acesso via WEB

Lucien de Paula Lima, Ana Cristina Maurício Ferreira, Luis Carlos Paschoarelli

Resumo


A saúde pública é o problema que mais preocupa os brasileiros. Problemas como a falta de investimentos em políticas públicas para a prevenção de doenças, falta de médicos, equipamentos e sucateamento dos hospitais acabam colaborando para resultado negativo da saúde pública no Brasil. Esse estudo apresenta o desenvolvimento de um dispositivo eletrônico capaz de medir pressão arterial e enviar o resultado da aferição para uma plataforma via web, afim de facilitar o acompanhamento médico, principalmente em locais de difícil acesso. Para a plataforma via web foi utilizado o programa de linguagem C++ que a cada intervalo de 30 minutos aciona o aparelho de pressão para que ele realize a medição, em seguida os dados são enviados para o Web Service. Para a leitura dos dados enviados foi desenvolvido um Web Site, onde o médico os acessa via internet. Como resultado, obteve-se um dispositivo eletrônico para aferição de pressão arterial, cujos componentes principais são um monitor de PA e um Arduino UNO. Após montado o protótipo, este foi devidamente calibrado e testado em três indivíduos. Houve êxito tanto na medição (que não apresentou diferenças quanto ao monitoramento utilizado somente com o monitor) e no enviar os dados para o sistema. 


Palavras-chave


MAPA; pressão arterial; acesso web

Texto Completo:

PDF

Referências


ALESSI A.; BRANDÃO A. A. & PIERIN A. (2005). IV Diretriz para uso da monitorização ambulatorial da pressão arterial/II. Diretriz para o uso da monitorização residencial da pressão arterial. Arq Bras Cardiol; 85 (supl. II): 5-18.

ALVES, D. (2014). Evolução da Informática na Medicina. Informática na Medicina. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2014. BANZI, M. (2011). Primeiros passos com Arduino. Novatec. São Paulo.

BASCONCELLO FILHO, D. O. (n.d.). Curso de Arduino. Robotizando.

Disponível em: http://www.robotizando.com.br/curso_arduino_software_pg3.php.

Acesso em: 02 set. 2015.

CRUZ, L. (2013). Cyborg DIY: Homem implanta hardware baseado no Arduino no próprio corpo. Gadgets INFO. Disponível em: http://www.info.abril.com.br/noticias/blogs/gadgets/computador-vestível/ cyborg-diy-homem-implanta-hardware-baseado-no-arduino-no-proprio-corpo/. Acesso em: 15 ago. 2015.

FERRAZ, D. F. I. (2013). Monitorização Vital e Ambiental com recurso a Redes de Sensores sem Fios. Dissertação (Mestre em Engenharia Informática), Universidade Fernando Pessoa, Porto.

G1. (2014). Brasileiros apontam saúde como principal problema do país. Disponível em http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/02/saude-e-o-principal-problema-do-brasil-diz-pesquisa.html. Acesso em: 12 abr. 2014.

LIMA, M. de P. (2014). Sistema de monitoramento cardíaco pela WEB. TCC (Graduação em Curso de Ciência da Computação), Universidade do Sagrado Coração, Bauru, 2014.

OKUYAMA, F. Y.; MILETTO, E. M. & NICALAO, M. (2014). Desenvolvimento de Software I: Conceitos Básicos - Série Tekne. 1. ed. Porto Alegre: Bookman.

ORTEGA, K.C.; SILVA, G.V. & MION JR, D. (2009). Pré-hipertensão: conceito, epidemiologia e o que falam as diretrizes. Rev Bras Hipertens. 16(2):83-6.

PERRY, N. A. & POTTER, A. P. (2013). Guia Completo de Procedimentos e Competências de Enfermagem. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

PERRY, N. A. & POTTER, A. P. (2013). Fundamentos de enfermagem. 8. ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

RÉA NETO, A.; MENDES, C. L. & REZENDE, E. A. (2004). Monitorização em UTI. Revinter: Rio de Janeiro.

SABBATINI, R. M. (1998). História da Informática em Saúde no Brasil. Informática Médica. Campinas, v. 5, n. 1, p.1-20, jul. Disponível em: http://www.informaticamedica.org.br/ informaticamedica/ n0105/sabbatini.htm. Acesso em: 20 maio 2014.

SIEVES, D. A.; SANTOS, M. L. & WANGHAM, M. S. (2012). Web das Coisas aplicada Assistência Médica Remota. Anais do Computer on the Beach 2012. Florianópolis, SC, Brasil.

SILVA, K. C. N. (2013). Monitoramento da saúde humana através de sensores: análise de incertezas contextuais através da teoria da evidência de Dempster-Shafer. Tese (Doutorado em Engenharia), Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

SMITH, N. E.; TIMBY, B. K. (2005). Enfermagem médico-cirúrgico. 8. ed. São Paulo: Manole.

SOARES, K. (2013). O que é um Arduino e o que pode ser feito com ele? Techtudo. Disponível em: http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/10/o-que-e-um-arduino-e-o-que-pode-ser-feito-com-ele.html. Acesso em: 06 jun. 2014.

SOUZA, F. (2013). Arduino primeiros passos. Embarcados.

Disponível em: http://www.embarcados.com.br/arduino-primeiros-passos. Acesso em: 06 set. 2015. UNIFESP. (2014). Histórico Detalhado. Disponível em: http://www.unifesp.br/dis/historico/historico-detalhado. Acesso em: 10 maio 2014.

WIDMAN, L. E. (1998). Sistemas Especialistas em Medicina. Informática Médica. Campinas, v. 5, n. 1, p.1-200, jul. 1998. Disponível em:http://www.informaticamedica.org.br/ informaticamedica/n0105/ widman.htm. Acesso em: 25 maio 2014.