Leitor de cartas Aumentado

Silvino Almeida, Tânia Ribeiro, Mário Vairinhos, Pedro Beça

Resumo


Durante séculos, a aprendizagem e o entretenimento foram suportados pela manipulação de objetos físicos. Os Tangible User Interfaces (TUI), cuja interação é baseada na manipulação de artefatos físicos, apesar de apresentarem importantes desafios tecnológicos e dificuldades conceptuais ao nível do design de interação (Shaer, 2009), encorajam a participação e a manipulação por parte dos utilizadores criando novas oportunidades e ambientes de interação (Ishii & Ullmer, 1997; Ullmer & Ishii, 2000).
O objeto aqui descrito, desenvolvido sob a forma de um protótipo funcional, combina elementos do mundo físico com objetos virtuais sintetizados por via de tecnologia digital incorporada. O utilizador é convidado a colocar uma carta na ranhura do objeto, fazendo surgir uma animação tridimensional. Através de um visor é possível ver a carta - o elemento físico e real - bem como a animação correspondente - o elemento virtual. Este último, por sua vez, está diretamente relacionado com o tema do conteúdo impresso na carta, estendendo o seu significado através da sua apresentação. 


Palavras-chave


interfaces tangíveis; realidade aumentada; design de interação; impressão 3D

Texto Completo:

PDF

Referências


AZUMA, R. (1997). A Survey of Augmented Reality. Presence, 6(4), 355-385. Acedido em 3 setembro 2015, de http://www.mitpressjournals.org/userimages/ContentEditor/1332945956500/PRES_6- 4_Azuma_web.pdf

CASELLA, G., PROVIDENCIA, F., SANTOS, M., & MARQUES, R. (2010). Projecto de museogra a do Museu Municipal de Pena el (pp. 109 -118). Porto: U. Porto. Acedido em 3 setembro 2015, de http:// ler.letras.up.pt/uploads/ cheiros/8189.pdf

GERKE, O. (2013). How much is it going to cost me to complete a collection of football trading cards?. Teaching Statistics, 35(2), 89-93. doi:10.1111/test.12005

GEROIMENKO, V. (2014). Augmented reality art. Switzerland: Springer International Publishing Switzerland.

HALLER, M., BILLINGHURST, M., & THOMAS, B. (2007). Emerging technologies of augmented reality. Hershey: Idea Group Pub.

ISHII, H., & ULLMER, B. (1997). Tangible bits. Proceedings Of The SIGCHI Conference On Human Factors In Computing Systems - CHI ‘97. doi:10.1145/258549.258715

JAHANDIER, A., & COSSON-SMEETON,. (1871). Spectres on the stage. New York: Art and Picture Collection, The New York Public Library.

KATAYOSE, H., & IMANISHI, K. (2005). ARMS. Proceedings Of The 2005 ACM SIGCHI In- ternational Conference On Advances In Computer Entertainment Technology - ACE ‘05. doi:10.1145/1178477.1178545

MARTIN, B. (2004). Using the Imagination: Consumer Evoking and Thematizing of the Fantastic Imagi- nary. J Consum Res, 31(1), 136-149. doi:10.1086/383430

PEPPER, J. (1890). The true history of the ghost, and all about metempsychosis. London: Cassell & Co. SHAER, O. (2009). Tangible User Interfaces: Past, Present, and Future Directions. FNT In Human– Computer Interaction, 3(1-2), 1-137. doi:10.1561/1100000026

ULLMER, B., & ISHII, H. (2000). Emerging frameworks for tangible user interfaces. IBM Syst. J., 39(3.4), 915-931. doi:10.1147/sj.393.0915

WOJCIECHOWSKI, R., WALCZAK, K., WHITE, M., & CELLARY, W. (2004). Building Virtual and Aug- mented Reality museum exhibitions. Proceedings Of The Ninth International Conference On 3D Web Technology - Web3D ‘04. doi:10.1145/985040.985060