Atitudes empreendedoras na escola: a vivência de uma prática

Joaquim José Rodrigo Gonçalves, Cristina Maria Castro Silva, Maria José Vilhena Mota, Sónia Maria Fernandes Carvalho

Resumo


Este trabalho tem por objectivo a apresentação de um conjunto de iniciativas promovidas e dinamizadas pelos alunos do Agrupamento de Escolas de Santa Maria da Feira.
As dinâmicas promovidas na escola têm como finalidade o desenvolvimento atitudes empreendedoras assim como um conjunto de competências fora da sala de aula. Estas iniciativas têm visado sempre uma educação integral, criando condições para aprendizagens formais, não formais e informais dos alunos.


Palavras-chave


educação; empreendedorismo; atitude empreendedora; educação empreendedora; competências; experiencia escolar

Texto Completo:

PDF

Referências


A. Caetano, S. S. (2012). Psicologia do empreendedorismo. Processos, oportunidades e competências. Lisboa: Mundo Social.

Abrantes, P. (2003). Os sentidos da escola : identidades juvenis e dinâmicas de escolaridade. Oeiras: Celta.

Cabrito, B. G. (1998). Educação Geral Versus Educação Tecnológica? Em Educação, Formação e Trabalho: Debates da Presidência da República (pp. 57-62).

Caetano, A. S. (2012). Psicologia do empreendedorismo. Processos, oportunidades e competências (1ª ed.). Lisboa: Editora Mundos Sociais.

Dolabela, F. (2002). Pedagogia empreendedora. Obtido de Revista de negócios da Universidade de Blumenau, v.9 n.º 2 pp. 127-130: http://proxy.furb.br/ojs/index.php/rn/article/view/293/280

Dubet, F. &. (1996). A l'école Sociologie de l'experience scolaire. Paris: Seuil.

Filion, L. (s.d.). Empreendedorismo: ciência, técnica e arte - inf.unisul.br. Palestra proferida no Seminário "A Universidade Formando Empreendedores".

Fillion, L. J. (2003). Mapa rodoviário para um Quebec empresarial: Um roteiro para desenvolver o empreendedorismo. Obtido de http://www.oei.es/etp/roteiro_desenvolver_empreendedorismo_filion.pdf.

Giddens, A. (2000). O Mundo na Era da Globalização. Editorial Presença.

Hoffmann, A. F. (2012). Measuring entrepreneurship education. In Eurostat, & Europeia, C., Entrepreneurship determinants: culture and capabilities. Luxemburgo: Publications Office of the European Union.

Leão, M. T. (Junho de 2011). Limites ao desenvolvimento de competências no Ensino Superior.

Leite, C. (2003). Para uma escola curricularmente inteligente. Porto: Asa.

Martins, E. C. (2007). Ideias e Tendências Educativas no Cenário Escolar: Onde estamos, para onde vamos? Revista Lusófona de Eduação, 07/2007, 71-90.

Miguel Mata Pereira, J. S. (Setembro de 2007). Promoção do Empreendedorismo na Escola. Lisboa: Ministerio da Educação - DGIDC.

Monteiro, A. (2009). Escola como catalisador do empreendedorismo. Obtido em 24 de Março de 2017, de Revista europa novas fronteiras 24/25: Os desafios da criatividade e inovação: https://infoeuropa.eurocid.pt/registo/000043128/documento/0001/

Neves, J., Garido, M., & Simões, E. (2006). Manual de Competências Pessoais, Interpessoais e Instrumentais - Teoria e Prática. Lisboa: Edições Sílabo, Ldª.

Oliveira, B. M., Moriano, J. A., & Soares, V. J. (2011). Estudo exploratório das diferenças na Intenção Empreendedora entre Homens e Mulheres em Portugal: o Caso dos Jovens Universitários do Norte de Portugal. Santa Maria da Feira.

Osterwalder, a., & Pigneur, Y. (2014). Criar Modelos de Negócios. Lisboa: D. Quixote.

Perrenoud, P. (1995). Ofício de Aluno e Sentido de Trabalho Escolar. Porto Editora.

Perrenoud, P. (Setembro de 2000). Construindo Competências. 19-31. (P. Gentile, & R. Bencini, Entrevistadores).

Perrenoud, P. (2001). A pedagogia na escola das diferenças : fragmentos de uma sociologia do fracasso. Porto Alegre: Artmed.

Perrenoud, P. (2001). Porquê construir competências a partir da escola? Lisboa: GriapAsa.

Reboul, O. (2000). A Filosofia da Educação. Lisboa: Edições 70.

Roldão, M. C. (2003). Gestão do Currículo e Avaliação de Competências: As Questões dos Professores. Lisboa: Editorial Presença.

Sarkar, S. (2007). Empreendedorismo e Inovação. Lisboa: Escolar Editora.