A arte da leitura e a excelência do comércio das musas: Gérard de Nerval e os poetas do século XVI

Marta Kawano

Resumo


O artigo busca refletir sobre as relações entre leitura e criação na obra de Gérard de Nerval a partir da recente reedição de uma antologia dos poetas do Século XVI realizada pelo autor em 1830 (Choix des poésies de Ronsard, Du Bellay, Baïf, Belleau, Du Bartas, Chassignet, Desportes, Régnier). Pelo projeto da antologia o poeta se engaja na batalha pelo Romantismo na França. A consideração de seu trabalho como compilador abre espaço para uma série de reflexões a respeito da porosidade de fronteiras no domínio literário (entre os gêneros, entre criação e crítica, memória e invenção literárias...). O modo como, na antologia de Nerval, essas fronteiras são transgredidas, permite-nos ainda colocar sua obra em diálogo com algumas formulações do pensamento romântico alemão.

Palavras-chave: Gérard de Nerval, Romantismo, crítica literária, poesia francesa do século XVI.

Texto Completo:

PDF


ISSN: 1646-7698   |   © 2011 APEF   |   Todos os direitos reservados

By Creative Labor / SDUA